Últimas

Diario Urbano: Pavimento desnivelado, iluminação pública precária e sinalização falha na BR-101

Alguém teria outra definição mais precisa para os 30,7 quilômetros da BR-101 na Região Metropolitana do Recife do que “colcha de remendos”? Acho difícil. Ouvi a definição de um motorista obrigado a circular ao menos duas vezes por semana pela rodovia. A realidade nesse trecho, ratificado pela reportagem do Diario, é de pavimento desnivelado, iluminação pública precária e sinalização falha. Asfalto do tipo Sonrisol, ou seja, vendo água se desmancha. E a consequência não seria outra senão de acidentes frequentes. O que mais intrigou ao longo dos últimos anos foi ver governos federais e estaduais se sucederem na responsabilidade de manutenção da via e a situação permanecer praticamente a mesma. No máximo, remendos aqui e rementos acolá, como se tapa-buracos solucionassem o caos instalado no principal trecho da BR em Pernambuco. Esse tipo de operação tem efeito de uma dose errada de medicamento para um paciente em estado grave: alivia a indisposição por tempo breve. Não ataca a causa da doença

É amarelo
Melhor mudar a cor do meio-fio do entorno da Praça Oswaldo Cruz, na Boa Vista. O amarelo proibitivo nunca foi levado tão a sério, tanto que veículos estacionam por lá e quase sempre sem interferir no trânsito.

Crime diário
Viajar nos ônibus da linha CDU/Caxangá/Boa Viagem é motivo de assalto e de furto. Na última quarta, ladrões levaram o celular de um passageiro. Ladrões roubaram ontem passageiros e o “apurado” do cobrador.

Duas semanas
Falta de água nas torneiras das ruas Paulo José Serpa, 1 e 2 da quarta etapa de Rio Doce, em Olinda, completa 14 dias hoje. Famílias com reservatórios pequenos recorrem aos vizinhos para as tarefas diárias.

Resposta igual
Se água não há, queixas são muitas. Os moradores de Rio Doce ao telefonarem para a Compesa ouvem as mesmas explicações. Atendentes não sabem informar o motivo e nem a data de retorno da água às torneiras.

Maior procura
Em resposta à coluna, o Hospital Agamenos Magalhães afirma que o 0800 está funcionando normalmente para marcação de consultas, embora reconheça uma alta na demanda de pacientes por serviços da unidade.

A favor
“A meia-entrada para os professores das redes municipais no estado é uma reparação à categoria, é um direito, mas o acesso à cultura tem que se estender a toda à população. ”, afirma Cláudia Ribeiro, sindicalista.

Contra
“Ou o governo garante meia-entrada para todo mundo ou não se dá para ninguém. Porque alguém vai ter que arcar indiretamente pela diferença do valor dos ingressos”, critica Robério Fernandes, pequeno empresário.

Difícil acesso
Além do mar, as comunidades do Pontal da Ilha e do Sossego, em Itamaracá, dispõem de outros atrativos aquáticos nesta época. Ruas viram lagoas e difilcutam a entrada e a saída dos moradores de casa.

Resta uma
Aqueles que precisam de socorro no Sossego já sabem. Sempre que chegam são avisados de que trabalha no local apenas uma enfermeira. Médico não aparece por lá e remédios estão sempre em falta. 

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *