Últimas

Distrito Federal tem 14 mil infectados com dengue e 73 com zika; 27 são gestantes

O Distrito Federal já registrou, este ano, 14.014 casos de dengue na região. Desses, 1.769 são de pessoas de outras unidades da Federação. Os números constam no Informativo Epidemiológico nº 18 da Secretaria de Saúde, divulgado nesta quarta-feira. Em relação a mortes, houve aumento. Pelo menos 14 pessoas morreram da doença na região, sendo sete moradores do DF e sete do Entorno. 

Segundo a secretaria, 81% dos atendimentos aos pacientes com dengue em 2016 foram feitos na rede pública da capital, um total de 9.923; 14% em unidades particulares, o equivalente a 1.762; e 4%, no sistema público goiano de saúde, 435. Em 1% dos casos a pasta não conseguiu identificar onde foi feito o atendimento.

Zika e chikungunya

O levantamento traz dados ainda do zika vírus e da febre chikungunya, também transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti. Desde janeiro, 73 de Brasília foram confirmados com o zika vírus, dos quais 27 são gestantes. Delas, 16 se contaminaram no DF, nove em Goiás e uma em Mato Grosso.

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve aumento de pacientes com a febre chikungunya. Em 2015, a doença havia sido confirmada em quatro moradores de Brasília. Neste ano, o número passou para 83 ocorrências. Desses casos, 35 foram contaminados em outras unidades da Federação.

Menos atendimentos

As unidades de atenção à dengue de Brazlândia e São Sebastião, criadas para facilitar o atendimento no período de maior incidência dos casos devem deixar de funcionar em 13 de maio. De acordo com o diretor de Vigilância Ambiental, da Subsecretaria de Vigilância à Saúde, Divino Martins, “com a chegada do frio, há uma queda natural da quantidade de casos”. Segundo ele, a decisão é técnica e já era prevista.

De acordo com a secretaria, para haver uma desativação gradual, o funcionamento das unidades foi reduzido em 30 de abril. Em Brazlândia, 10.726 pessoas foram atendidas de 11 de fevereiro a 3 de maio. Em São Sebastião, 10.450 foram acolhidas de 19 de fevereiro a 28 de abril. Nos locais, são feitos testes rápidos, e é dada a primeira assistência a quem apresenta os sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Com informações da Agência Brasília.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *