'Efeito Arábia' ainda limita principal reforço corintiano para o Brasileiro

O meia Marquinhos Gabriel já deu boas demonstrações de seu potencial nas partidas contra o Nacional-URU e Grêmio. Mas, na avaliação do Corinthians e dele próprio, ainda há uma boa margem de evolução em um aspecto especial: parte física. Os níveis do jogador estão abaixo após passagem de quatro meses pela Arábia Saudita. 

Titular no domingo passado diante do Grêmio, Marquinhos jogou 90 minutos pela primeira vez depois de mais de dois meses. O meia conquistou de vez o lugar na equipe e recebeu de Tite a promessa de que teria sequência para se afirmar. Um dos motivos é, justamente, adquirir um condicionamento e ritmo ideais. 

“Fisicamente tenho que ganhar muito”, explicou Marquinhos. “Há muito tempo eu não jogava 90 minutos e o ritmo é bem diferente da Arábia (defendia o Al Nassr). A cada dia vamos tentar evoluir física e tecnicamente”, complementou. 

De acordo com o preparador físico Fábio Mahseredjian, Marquinhos Gabriel já se encontra em evolução. 

“O futebol árabe tem uma intensidade muito menor que a nossa. E como ele mesmo disse, a última partida inteira acho que foi no começo do ano. Isso fez com que ele perdesse o ritmo por completo. Eu gostei da performance (física diante do Grêmio), mas pode ser melhor. Para um primeiro jogo, estou satisfeito, mas ele precisa melhorar. É ir adquirindo um ritmo que não é mensurável, e mais uma semana cheia de treinamentos faz com que ele evolua”, explicou Fábio.

Na avaliação da comissão técnica, Marquinhos Gabriel perdeu desempenho durante a partida. Após um primeiro tempo muito bom, terminou em ritmo abaixo. “Nos últimos 10 ou 15 minutos, ele caiu de produção”, concordou Mahseredjian. 

Além da preparação, o Corinthians também faz um trabalho específico com Marquinhos para evitar lesões. O jogador tem feito sessões extras devido a um histórico de contusões, segundo o preparador físico. Fábio e Tite conhecem o meia desde os tempos de Internacional, em que trabalharam juntos em 2008. “Por isso ele ficou duas semanas trabalhando para estrear”, disse o preparador. 

Marquinhos estreou com gol de pênalti, já virou o cobrador oficial da equipe e desperta grande expectativa na comissão técnica e diretoria, sobretudo no treinador Tite. Ele era o jogador desejado pelo comandante para suprir a perda de Jadson para a China. Apesar de não conseguir concretizar a compra em dezembro, o clube se manteve firme no mercado, venceu a concorrência do Santos e adquiriu 70% dos direitos econômicos do meia por R$ 10,5 milhões à vista.

Entre suas características apreciadas, vale observar, está a versatilidade. Marquinhos inicialmente jogará aberto pela direita no Corinthians, mas também tem trabalhado no lado oposto. “Posso jogar tanto aberto como rodando por dentro, trabalhando no espaço curto e no espaço longo. O Tite tem passado como gosta de trabalhar”, disse. 

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *