Estado propõe nomeação imediata de 150 professores da reserva técnica

O Governo do Estado propôs nomear 150 professores da reserva técnica que foram aprovados no concurso realizado pela Educação em 2013, tendo como garantia a extinção do contrato temporário de 182 monitores. A alternativa foi apresentada durante nova audiência de conciliação realizada no Tribunal de Justiça de Alagoas, nesta quinta-feira (19).

Os integrantes da reserva técnica da Educação vem há meses cobrando do Executivo um calendário de nomeações para os aprovados no concurso público, tendo em vista que sua validade venceu em abril.

Durante o encontro, os representantes do Estado, o vice-governador e secretário de Estado da Educação, José Luciano Barbosa da Silva, e o secretário de Planejamento, Christian Teixeira, também propuseram incluir a nomeação dos professores distribuídos entre as 13 Gerências Regionais de Educação (GERES), por ordem de classificação, de acordo com a necessidade de disciplinas como Português, Educação Física, Química e Artes. Além disso, o Governo também indicou a possibilidade da realização de um novo concurso público no próximo ano, desde que haja viabilidade para tal. 

“Todas as avaliações foram feitas depois de estudos minuciosos sobre o impacto na folha de pagamento do Estado, porque essa é uma despesa que vai impactar os recursos de Alagoas pelos próximos 30 anos, por isso a cautela para tomar uma decisão que tenha sustentabilidade a médio e longo prazo”, explicou o vice-governador.

 O defensor público Ricardo Melro atua no processo pleiteando as nomeações e propôs a ação como forma de manutenção de uma educação de qualidade no Estado. Ele mostrou-se satisfeito com a proposta apresentada, mas afirmou que vai apresentá-la aos professores. “Defendemos aqui o direito das crianças, então se orçamentariamente é possível chegar a essa quantidade, estaremos com 150 professores a mais na rede pública, mas não podemos tomar uma decisão de imediato sem antes comunicar os professores que também serão beneficiados”, explicou. 

Esta foi a terceira reunião mediada pelo presidente do TJ/AL com o objetivo de resolver o impasse. “Na audiência de hoje, vimos concretamente uma proposta ser apresentada pelo Estado e que será avaliada pela Defensoria Pública, para que em momento posterior possamos definir uma solução para esse problema”, explicou. Uma nova audiência ficou marcada para o dia 1º de junho, às 9h, no Gabinete da Presidência do TJ/AL. “Eu tenho a impressão que neste dia poderemos chegar a uma solução definitiva para esse problema”, concluiu Washington Luiz. 

 

cadaminuto

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *