Últimas

Ex-rebelde, Bandeira amplia crise no Fla por acerto sigiloso com a CBF

Surpresos e sem saber o que dizer. Foi assim que a maioria dos vice-presidentes do Flamengo acompanhou a convocação da seleção brasileira para a Copa América Centenário. Ligar a TV e se deparar com o presidente Eduardo Bandeira de Mello sentado à mesa entre o técnico Dunga e o coordenador Gilmar Rinaldi fez disparar a troca de mensagens indignadas entre os cartolas e torcedores rubro-negros.

Em um momento delicado do departamento de futebol após derrotas emblemáticas e eliminações, o mandatário ampliou a crise ao aspecto institucional. A forma sigilosa como aceitou o convite do presidente da CBF Marco Polo Del Nero para ser o chefe de delegação na competição sul-americana gerou críticas e irritação nos corredores da Gávea.

A decisão se deu na noite de terça-feira (3) a partir de um telefonema de Del Nero. Bandeira apareceu na sede da entidade com o motorista particular e surpreendeu os presentes na convocação. O vice-presidente de comunicação Antonio Tabet não foi informado, assim como o vice geral Maurício Gomes de Mattos, que está na Espanha.

O choque em vê-lo colaborar com a CBF foi tema nas redes sociais (veja abaixo) e da conversa entre os dirigentes. A reprovação é quase que total, principalmente pela forma como a negociação aconteceu.

Na Gávea, figuras políticas temem que a atitude tenha manchado a luta do clube pela Primeira Liga e desmoralize as iniciativas anteriores contra a própria entidade e a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro). Por outro lado, existe a aposta de que o presidente tenha obtido alguma contrapartida, como a esperada aprovação da Liga.

Traição, inaceitável, vergonha, decepção… Essas palavras circularam nas mensagens entre os cartolas do Flamengo e da Primeira Liga. A imagem de Bandeira de Mello aparentemente saiu arranhada do episódio e há quem aposte que ele ainda recue do convite por conta da repercussão negativa.

Por enquanto, o dirigente vai mesmo ocupar a controversa função de chefe de delegação e pode até se ausentar por mais de um mês do Flamengo entre maio e junho. O trabalho não está definido, mas o primeiro dia já foi tumultuado o suficiente para deixá-lo desconfortável.

“Ainda não conversamos exatamente sobre a minha função. O importante é assumir esse compromisso. Tenho a certeza de que vamos definir as coisas com calma”, pontuou Bandeira.

Eduardo Bandeira de Mello. Nenhum presidente decepcionou tanto uma torcida quanto ele.

— FlaRealista (@Flamenguistico) 5 de maio de 2016

Eduardo Bandeira de Mello ta de SACANAGEM com a cara de todos os flamenguistas desse Brasil!!!

 

 

 

 

 

VERGONHAAAAAAAAAAA

— THomas (@thmiranda_) 5 de maio de 2016

Com o afastamento de Cunha, Bandeira de Mello passa a ser o Eduardo há mais tempo fazendo besteira no

 

 

 

 

 

cargo

— João Pedro (@joaopedrofdias) 5 de maio de 2016

Eduardo Bandeira de Mello será o Chefe de Delegação da seleção brasileira na Copa América, nos Estados Unidos.

Isso é uma VERGONHA!!!

— Rodrigo Lins (@rodlins80) 5 de maio de 2016

Bandeira de Mello na mesa da CBF. Mais uma decepção…..

— Gustavo Castelano (@crfcastelano) 5 de maio de 2016

“O chefe da delegação da Seleção será o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello”. Assim fica difícil te defender amigo.

— Cap. Campari (@rafagafinhos) 5 de maio de 2016

É aviltante e desmoralizante q Bandeira de Mello,em meio a crise absurda,dps de tapetão, 7×1,sente-se na mesa da CBF por status pessoal.

— Carlinhos Violino (@1981olavo) 5 de maio de 2016

Meu Deus!!! Bandeira de Mello chefe da delegação na Copa América!!!!! PATÉTICO!

— Rodrigo Lopes (@Digolopada) 5 de maio de 2016

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *