Faltam mais de 2 mil leitos em Alagoas, diz secretária de Saúde

Problema deve ser minimizado com a construção de novos hospitais em Maceió e no interior do estado

 

A secretária de Saúde de Alagoas, Rosângela Wyszomirska, afirmou à TV Gazeta nesta terça-feira (24) que o estado tem, atualmente, uma carência de mais de dois mil leitos no Sistema Único de Saúde (SUS). O problema, segundo ela, deve ser minimizado com a construção de novos hospitais em Maceió e no interior.

A situação é considerada mais crítica na área de pediatria e em leitos especializados, como Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). Enquanto faltam vagas em algumas áreas, sobram em outras, como na área de psiquiatria.

"O estado tem atualmente cerca de cinco mil leitos cadastrados para a população SUS, mas, apesar disso, ainda há a carência de mais duas mil vagas. Alagoas passou quase 30 anos sem a construção de novos hospitais e criação de novos leitos, que agora serão repostos", explicou a secretária durante o Bom Dia Alagoas.

De acordo com Wyszomirska, cerca de 87% da população do estado depende do Sistema Único de Saúde, mas, devido ao agravamento da crise financeira, a tendência é de que esse número chegue a 90%, o que pode sobrecarregar ainda mais as urgências.

"O SUS preconiza que a atenção básica deveria resolver grande parte dos problemas da população, mas, culturalmente, a população não tem essa percepção. Isso provoca um grande  fluxo nos hospitais, que são obrigados a fazer o diagnóstico", observa.

 

Por Eduardo Almeida

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *