Últimas

Feirão Caixa da Casa Própria começa hoje

O casal Edi Souza, jornalista, e Jackson Félix, advogado, procura há algum tempo um imóvel para chamar de seu. Apesar do cenário de retração da economia, ambos definiram 2016 como o ano da realização deste sonho. E acreditam que, justamente por conta da crise, podem conseguir boas oportunidades junto às construtoras. Para eles, o momento certo para conquistar as chaves do futuro será a partir desta sexta-feira, na 12ª edição do Feirão Caixa da Casa Própria no Recife. O evento será realizado no Centro de Convenções de Pernambuco, como já é de praxe, e segue até o domingo. Neste ano são esperadas 22 mil pessoas. Mais 50 construtoras e imobiliárias vão oferecer cerca de 20 mil imóveis entre novos e usados. Um deles pode ser a casa própria de Edi e Jackson.

“Queremos um apartamento de até R$ 250 mil, de preferência em bairros como Piedade e Barra de Jangada. Com tantas construtoras juntas em um só local e ainda com o atendimento da Caixa, nosso objetivo é encontrar, negociar e sair com o imóvel já comprado”, conta Edi Souza. O otimismo é gerado pela confiança nas condições facilitadas que já são tradicionais no feirão. Apesar disso, é fato que, neste ano, o evento não terá carência (prazo estendido para início do pagamento dos imóveis) nem juros ou taxas diferenciadas. As vantagens deverão ser negociadas diretamente com as construtoras e imobiliárias.

Ao todo, mais de 400 funcionários do banco serão deslocados de suas agências para o pavilhão de dez mil metros quadrados. Eles serão responsáveis pela recepção do público e pela emissão de cartas de crédito para os visitantes. O foco da 12ª edição do Feirão será em habitação popular, dentro do programa Minha Casa Minha Vida, e em operações com recursos do FGTS, cujo valor máximo do imóvel é de R$ 225 mil. Os imóveis ofertados se concentrarão na Região Metropolitana do Recife, mas também haverá ofertas no litoral e interior do estado.

Para o superintendente regional da Caixa, Paulo Nery, mesmo sem condições tão especiais, os visitantes encontrarão facilidades. “Iremos oferecer todas as condições de agência e os principais lançamentos do setor”, afirma. O esperado é que mesmo com a crise, a Caixa atinja R$ 730 milhões em negociações, montante levemente superior ao registrado em 2015, quando foram movimentados R$ 729 milhões, divididos em 5,7 mil contratos.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *