Últimas

Fórmula 1 também já teve seu 'Leicester' há 7 anos. Relembre

  • EFE

A conquista do modesto Leicester frente aos gigantes milionários do Campeonato Inglês já entrou para a história como uma das maiores zebras da história do esporte. A Fórmula 1 já teve alguns ‘Leicester’, em GPs que acabaram com desfechos surpreendentes, mas será difícil bater aquela equipe que se tornou, em 2009, a campeã mais improvável de todos os tempos: a Brawn.

Aquela temporada marcaria uma grande mudança de regulamento, o que costuma reorganizar a relação de forças entre as equipes. Mas ninguém acreditava que a equipe, abandonada pela Honda ao final de 2008, quando a montadora japonesa decidiu deixar a categoria, teria qualquer chance. Afinal, o espólio fora assumido por Ross Brawn de última hora e o time não tinha um patrocinador sequer.

A Mercedes, inclusive, cedeu seus motores para que a equipe pudesse entrar no grid. Porém, logo no primeiro teste ficou claro que o carro da Brawn era muito mais rápido que os rivais, em grande parte por uma brecha que o próprio dono do time havia encontrado no regulamento.

Com um início arrasador, com seis vitórias nas sete primeiras provas, Jenson Button aproveitou essa vantagem inicial e foi campeão, também levando, junto de Rubens Barrichello, o time ao título de construtores. O feito foi especialmente impressionante porque não havia muito dinheiro para desenvolver o carro. Para se ter uma ideia, Ross Brawn viajava com a companhia áerea de baixo custo Easyjet para as corridas europeias.

Glória de Maldonado e da ex-Minardi

AFP PHOTO / LLUIS GENE

Algumas zebras comparáveis ao título do Leicester também aconteceram nas corridas. A mais recente foi no GP da Espanha de 2012. Logo na pista mais usada pelas equipes em testes e que, por conta disso, costuma ter os resultados mais óbvios, Pastor Maldonado não apenas colocou a Williams na primeira fila como venceu em Barcelona.

Na época, a equipe tinha como objetivo pontuar nas corridas e estava longe até da luta pelo pódio. Mas o venezuelano compreendeu bem o funcionamento dos pneus naquele final de semana, fez o segundo melhor tempo na classificação e acabou herdando a pole após uma punição a Lewis Hamilton. Na corrida, travou uma batalha com Fernando Alonso e bateu o espanhol, então na Ferrari, para vencer pela única vez em sua carreira na F-1.

Mas se há algo que costuma gerar zebras na F-1 é a chuva. A mais famosa dos últimos anos aconteceu em 2008, em um atípico GP da Itália.

Com o mau tempo, incomum para a época em Monza, as equipes não se prepararam tão bem como de costume. Mais erros na classificação deram a chance da Toro Rosso, ex-Minardi, colocar Sebastian Vettel – que fazia sua primeira temporada completa – na pole e Sebastien Bourdais em quarto.

Aos 19 anos na época, Vettel fez uma corrida perfeita largando da pole e se tornou o vencedor mais jovem da história da Fórmula 1, naquele que, até hoje, é o único pódio da história da Toro Rosso.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *