Últimas

Homem que apalpou mulher que fazia trabalho religioso é condenado em AL

José Messias Severiano foi condenado a 6 anos e meio de prisão. Crime foi em 2014; suspeito disse que vítima o confundiu com outra pessoa.

 

Um homem foi condenado a 6 anos e 6 meses de prisão, em regime semiaberto, por crime de estupro. A vítima, de acordo com o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), seria uma uma mulher que fazia trabalho religioso. O crime foi registrado em setembro de 2014, no bairro de cruz das Almas, em Maceió.

Segundo o TJ, por volta das 19h30 do dia 27 de setembro, a vítima estava nas imediações de um supermercado, junto a um grupo de pessoas fazendo trabalhoa religioso, quando foi surpreendida pelo acusado, identificado como José Messias Rodrigues Severiano, que apalpou as partes íntimas dela com violência.

Na época, em depoimento à polícia, a vítima disse que, por conta da violência da abordagem do homem, quase caiu na calçada, e só teve força para gritar “sai tarado”. Ela continuou contando que, após isso, Severiano se afastou e caminhou tranquilamente em direção a um monte de terra próximo.

Pouco tempo depois, ainda de acordo com as informações divulgadas pelo TJ, uma jovem foi vista correndo, afirmando que um homem havia tentado violentá-la.

Com as características do suspeito em mãos, uma guarnição da Polícia Militar fez rondas na região e encontrou Severiano escondido em um matagal. Na delegacia, ele foi reconhecido pelas mulheres. Ele, porém, negou as acusações, e disse que estava sendo confundido com outra pessoa, parecida com ele.

“Diante de tudo o que fora até aqui exposto, entendo não haver qualquer dúvida quanto a autoria delitiva. As provas colhidas durante a instrução processual falam por si: o acusado fora o responsável pelo crime em tela, sendo a sua condenação medida impositiva”, afirma o juiz Josemir Pereira de Souza, da 4ª Vara Criminal da Capital. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta quarta-feira (18).

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *