Últimas

Janot pede que Lula e mais 30 sejam investigados na Lava-Jato

Segundo Janot, Lula atuou para impedir que o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró fechasse delação premiada. Foto: Nelson Almeida/AFP
Segundo Janot, Lula atuou para impedir que o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró fechasse delação premiada. Foto: Nelson Almeida/AFP

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao ministro relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, que inclua o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e mais 30 pessoas no inquérito mais importante do caso, apelidado de “quadrilhão”. Entres eles, estão o assessor da Presidência Giles Azevedo, a ex-ministra Erenice Guerra e os ministros Jaques Wagner e Ricardo Berzoini.
 
De acordo com Janot, “a organização criminosa tem dois eixos centrais”. Um é ligado “a membros do PT” e o outro, “ao PMDB”. O inquérito apura como um grupo de políticos promoveu indicações políticas em estatais, notadamente na Petrobras, a fim de obter propinas de fornecedoras das empresas, como as grandes empreiteiras.
 
Segundo Janot, Lula atuou para impedir que o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró fechasse delação premiada e revelasse crimes na estatal. Para isso, diz o procurador, o petista contou com a ajuda de um amigo, o pecuarista José Carlos Bumlai. “A partir das investigações ganharam novos contornos e se constatou que Luiz Inácio Lula da Silva, José Carlos Bumlai e Maurício Bumlai atuaram na compra do silêncio de Nestor Cerveró para proteger outros interesses, além daqueles inerentes a Delcídio e a André Esteves, dando ensejo ao aditamento da denúncia anteriormente oferecida nos autos 4170/STF”.
 
Janot pediu, na última sexta-feira (28/4), que as delações premiadas do ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT-MS), do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e dos executivos da Andrade Gutierrez fossem anexadas ao processo.
 
Se o ministro aceitar o pedido do procurador, os alvos mencionados pelo Ministério Público se tornarão investigados no caso. A tendência é que Teori Zavascki autorize a medida para a continuidade das investigações. À exceção dos delatores, todos os políticos que se manifestaram até agora têm negado qualquer irregularidade.
 
Quem deve passar a integrar o “quadrilhão”:
1. Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
2. Ministro Jacques Wagner
3. Minstro Ricardo Berzoini
4. Ministro Edinho silva
5. Senador Jáder Barbalho
6. Senador Delcidio do Amaral
7. Deputado Eduardo Cunha
8. Deputado Eduardo da Fonte
9. Deputado Aguinaldo ribeiro
10. Deputado André Moura
11. Deputado Arnaldo Faria de Sá
12. Deputado Altineu Côrtes
13. Deputado Manoel Júnior
14. Ex-ministro Henrique Eduardo Alves
15. Assessor da Presidência Giles de Azevedo
16. Ex-ministra Erenice Guerra
17. Ex-ministro Antonio Palocci,
18. Pecuarista José Carlos Bumlai
19. Presidente do Instituo Lual, Paulo Okamoto
20. Banqueiro André Esteves,
21. Ex-ministro Silas Rondeau
22. Lobista Milton Lyra
23. Lobista Jorge Luz,
24. Ex-senador Sérgio Machado
25. Ex-presidente da Petrobras Jose Sérgio Gabrielli
26. Doleiro Lúcio Bolonha Funaro
27. Ex-deputado Alexandre Santos
28. Ex-deputado Carlos Willian,
29. Ex-deputado João Magalhães
30. Ex-deputado Nelson Bornier e
31. Ex-deputada Solange Almeida
Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *