Últimas

João Velho comenta sentença dos acusados da morte do irmão, Rafael: ‘Matar não é tão grave quanto pensamos’

Seis anos após o atropelamento que matou Rafael Mascarenhas, o filho de Cissa Guimarães, uma nova audiência realizada nesta terça-feira estabeleceu as sentenças dos réus. Rafael Bussamra, que respondia por homcídio culposo, recebeu uma pena de 3 anos e alguns meses de serviços comunitários. O pai dele, Roberto, que foi denunciado por ter pago propina a dois policiais militares para desfazer o local do acidente, recebeu a mesma pena. Em seu perfil no Facebook João Velho, irmão de Rafael, desabafou: “Matar, e prometer dinheiro pra polícia não te prender, não é tão grave quanto pensamos”.

No texto, João Velho agradeceu o carinho dos amigos, e criticou a avaliação da Justiça: “Rafael foi absolvido das acusações de corrupção por, de acordo com o relator, não haver provas suficientes de que participou da negociação da propina para os policiais liberarem os envolvidos e ajudar a maquiar as provas do atropelamento, ou seja, foi considerado quase como um menino amedontrado, acuado, sem chances de tomar quaisquer atitudes enquanto seu pai, Roberto Bussamra (este sim condenado por corrupção), resolvia tudo à sua revelia. Mas esse ‘menino’ é um homem feito, bastante capaz de fazer suas próprias decisões e ninguém vai me convencer de que ele não teve a menor participação nesse esquema no qual o maior beneficiário era o próprio”.

O ator ainda lamentou as consequências que o resultado do julgamento podem ter. “A mensagem que está sendo passada pelos juízes que votaram é muito ruim, não só para nós da família, mas pra toda sociedade: Matar, e prometer dinheiro pra polícia não te prender, não é tão grave quanto pensamos. Lamento pela mensagem nada aliviadora. Beijos a todos e como minha mãe diz: luz. P.S.: Ainda não é o fim”, escreveu.

Rafael Bussamra ao lado do pai Roberto Bussamra no escritório do advogado da família

Rafael Bussamra ao lado do pai Roberto Bussamra no escritório do advogado da família Foto: Gustavo Goulart

Cissa Guimarães também se manifestou nas redes sociais e, após a decisão, fez um desabafo. “Ficarão livres prestando serviços comunitários. Fico pensando que depois de terem feito isto, que serviços comunitários perigosos essas pessoas prestarão à nossa sociedade. Medo. Tristeza. Injustiça. Agradeço com o que restou d meu coração à todas às manifestações de apoio, carinho e respeito q eu e minha família sempre recebemos nestes seis anos sem nosso Rafa. Como diz Guimarães Rosa, “viver é muito perigoso”. Muita luz para nós”, publicou.

Rafael Mascarenhas com a mãe, Cissa Guimarães

Rafael Mascarenhas com a mãe, Cissa Guimarães Foto: Reprodução/ Instagram

Fonte: Jornal Extra (http://extra.globo.com)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *