Kerry chega a Genebra para diálogo com Rússia sobre trégua em Aleppo

Aleppo, Síria, 1 Mai 2016 (AFP) – O secretário de Estado americano, John Kerry, chegou neste domingo a Genebra para promover, junto com a Rússia, uma negociação que leve ao cessar-fogo na castigada província de Aleppo (norte) e consolide a trégua na Síria.

A cidade de Aleppo tem recebido a maior parte dos devastadores ataques aéreos e de artilharia pesada que deixaram, nos últimos nove dias, 253 civis mortos, entre eles 49 crianças, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Em Genebra, Kerry vai-se reunir com o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, e com seus homólogos saudita, Adel al Jubeir, e jordaniano, Naser Judeh. Fontes de alto escalão do governo americano admitiram, porém, que o sucesso da negociação depende, principalmente, da postura de Moscou.

“Estamos falando diretamente com os russos, inclusive agora”, disse Kerry, depois de uma semana, na qual a Rússia insistiu em que não pediria ao governo de Bashar al-Assad o fim dos bombardeios contra Aleppo por se tratar de “uma luta contra a ameaça terrorista”.

“A esperança é que possamos fazer algum progresso”, afirmou Kerry, antes de se encontrar com o ministro jordaniano e um dia antes de sua reunião com De Mistura.

“Mas a resolução do Conselho de Segurança da ONU pede um cessar (da violência) completo em todo o país e o acesso de ajuda humanitária a todo o território”, lembrou.

Grande aliado de Damasco, a Rússia anunciou neste domingo que estava realizando negociações para conseguir deter os combates na província.

“Estão acontecendo negociações para estabelecer um ‘regime de silêncio’ na província de Aleppo”, declarou o chefe do Centro russo para a reconciliação das partes em conflito na Síria, general Serguei Kuralenko, citado pelas agências de notícias russas.

A trégua promovida por Washington e Moscou foi pelos ares com o início dos bombardeios do governo de Al-Assad contra Aleppo, em 22 de abril.

Do Vaticano, o papa Francisco manifestou, neste domingo, sua “profunda dor” com os combates em Aleppo e pediu às partes envolvidas no conflito que respeitem o cessar-fogo.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *