Últimas

Lindbergh cita ex-presidentes para defender Dilma, mas não menciona Collor

 (Ed Alves/CB/ D.A Press)

Um dos principais articuladores do impeachment de Fernando Collor, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) – que, à época era presidente da União Nacional dos Estudantes – defendeu a manutenção de Dilma Rousseff no cargo de presidente da República. Nesta quinta-feira (12/5), Farias usou seu discurso no plenário do Senado para dizer que o processo de impedimento da petista é um golpe.

Em sua fala, o parlamentar lembrou os ex-presidentes Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart que, segundo ele, também foram alvo da ação de “golpistas”. “As elites desse país nunca tiveram um compromisso verdadeiro com a democracia”, afirmou. Farias também disparou acusações contra a imprensa. Ele apresentou capas de jornais de 1964 que tratavam a tomada do poder pelos militares como um “vitorioso movimento democrático”. O senador não fez, contudo, qualquer menção a Collor.

Ainda conforme Farias, o PSDB e o PMDB são os articuladores do golpe contra a presidente Dilma. “O PSDB, no fundo, se aliou com Cunha e Temer, que são os capitães do golpe”, disse. “Estamos lutando de cabeça erguida, porque temos uma causa: a inclusão, os mais pobres, o povo trabalhador […] Eles querem o golpe por um motivo: jogar a conta para ser paga pelos mais pobres e os trabalhadores”, completou.

Antes de concluir, o senador também fez um apelo para que os colegas parlamentares não manchassem “suas biografias apenas pelo humor momentâneo” e mandou um recado para a presidente Dilma: “presidenta, saia amanhã daquele palácio de cabeça erguida, porque a história lhe absolverá com toda certeza”, finalizou.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *