Lindbergh diz que PSDB é maior derrotado do impeachment e promete "dura oposição" a Temer

Um dos principais defensores do governo Dilma Rousseff no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou na madrugada desta quinta-feira (12) que o PSDB, principal partido de oposição, é o “maior derrotado” do processo de impeachment, pois será “sócio minoritário de um governo falido”, disse.

Lindbergh discursou horas antes de o Senado votar o afastamento da presidente Dilma, o que pode levar o vice-presidente MIchel Temer (PMDB) a assumir o cargo interinamente. O senador do PT também afirmou que não vai reconhecer um eventual governo Temer e prometeu uma “dura oposição” no Parlamento.

“Não vamos reconhecer Temer como presidente da República. Ele não passa de um golpista. É o primeiro presidente do país que vai assumir ficha-suja e inelegível. Nós não vamos reconhecer esse governo”, disse.

Segundo Lindbergh, com o agravamento da crise econômica e a baixa popularidade de Temer, Dilma terá força para barrar sua condenação no julgamento pelo Senado, o que a recolocaria no cargo. “Daqui a três, quatro meses, no julgamento definitivo, nós colocarmos Temer, esse impostor, para fora do Palácio do Planalto”, afirmou.

Ao repetir o discurso de que o impeachment é um golpe de Estado, Lindbergh afirmou que o julgamento histórico vai “absolver” a petista e comparou a oposição a Dilma à sofrida por outros presidentes, como Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart.

“Presidente Dilma, saia amanhã daquele palácio de cabeça erguida, porque a história lhe absolverá com toda certeza”, disse. “As elites desse país jamais tiveram compromisso democrático”, afirmou Lindbergh.

O Senado começou na quarta-feira (11) a sessão que deve culminar com a votação do prosseguimento do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Se aprovado, o Senado abre processo para investigar Dilma, que fica afastada temporariamente do cargo, por 180 dias ou até o fim do julgamento no Senado.

Os debates começaram por volta das 11h da quarta-feira. Até as 01h15 da quinta-feira (12), 48 dos 71 senadores inscritos já haviam discursado. A votação que pode afastar a presidente Dilma Rousseff será realizada apenas no fim de todas as manifestações. Lindbergh foi o 49º a discursar.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *