Últimas

Melhora na demanda e mudança de governo elevaram confiança da indústria, diz FGV

A combinação da percepção de melhora na demanda com a perspectiva de redução de incertezas em meio à mudança de governo permitiu que o Índice de Confiança da Indústria (ICI) subisse mais uma vez em maio, afirmou nesta segunda-feira o superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da Fundação Getulio Vargas (FGV), Aloisio Campelo. A prévia deste mês indica alta de 1,3 ponto, para 78,8 pontos, o terceiro avanço consecutivo.

Por outro lado, dificilmente o índice atingirá a neutralidade (100,0 pontos) ainda este ano, sinal de que a situação da indústria ainda exige cautela, notou Campelo. “Não acho que a confiança vá subir tanto”, disse.

A melhora do indicador em maio, puxada pelas avaliações sobre a situação atual, sinaliza ao menos duas coisas, apontou Campelo. Em primeiro lugar, é possível que a fase mais aguda de quedas na produção industrial já tenha passado. “Os estoques estão melhorando há algum tempo, e a demanda também subiu”, disse.

Em segundo lugar, há a questão subjetiva, ligada à mudança de governo. “Talvez haja percepção de redução de incerteza, uma perspectiva de sair daquela paralisia para um governo que ao menos conseguiria agir e sinalizar algo lá na frente”, explicou o superintendente.

A melhora ligada ao cenário político, contudo, é menos marcante do que foi na época do impeachment de Fernando Collor, em 1992, afirmou Campelo. Naquele período, a euforia entre os empresários industriais foi maior, tendo sido corrigida para baixo diante da percepção de que as dificuldades na economia persistiam, apontou o superintendente.

Os dados finais da Sondagem da Indústria de maio serão divulgados na próxima terça.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *