Últimas

Milhares vão às ruas no Chile pedir descriminalização da maconha

Santiago do Chile, 22 mai (EFE).- Milhares de pessoas foram às ruas de Santiago neste domingo para pedir a descriminalização da maconha e uma nova política de drogas no Chile.

A 12ª edição da Marcha da Maconha, que neste ano teve como tema “Cultiva seus direitos”, foi convocada por várias organizações sociais e transcorreu em um ambiente festivo pelo centro da capital.

Nicolás Espinoza, presidente da Movimental, uma das entidades organizadoras do evento, explicou que a manifestação tem como principal objetivo exigir a legalização da maconha no Chile, onde é permitido o consumo privado, mas o cultivo e a venda são considerados crimes.

“O que se pede é uma nova política de drogas baseada em evidências científicas e que seja mais justa e eficaz. Buscamos a descriminalização do cannabis, do consumo, porte e cultivo, e tomara, o acesso regulado à substância”, disse Espinoza à rádio “Bio-Bio”.

“A descriminalização não significa que as pessoas terão autorização para fumar pelas ruas ou que a maconha será vendida nas lojas. Tem que existir um marco legal restrito que regule o acesso à substância”, explicou o ativista.

Desde dezembro, o Chile possui uma legislação que autoriza a elaboração e a venda de remédios derivados do cannabis, uma regra que também foi adotada em países como Porto Rico e Colômbia.

A regulação se baseou no uso medicinal e, em março, foi realizada a colheita da maior plantação legal de cannabis da América Latina, com 6 mil plantas cultivadas em uma zona rural do sul do país.

A maconha está no Chile na lista das drogas consideradas como pesadas, apesar de um projeto de lei para permitir o cultivo e o consumo pessoal estar em tramitação no parlamento.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *