Últimas

Morte de Seal revela risco crescente para militares americanos no Iraque e Síria

Washington, 4 Mai 2016 (AFP) – A morte de um Seal na terça-feira no Iraque, quando estava em um front Peshmerga curdo como assessor, mostra o risco crescente que enfrentam as tropas americanas no Iraque e na Síria que combatem o grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

O militar americano, que assessorava e ajudava as forças Peshmerga, foi abatido por fogo inimigo ao norte de Mossul, informou Peter Cook, porta-voz do Pentágono, precisando que o incidente ocorreu a “3 ou 5 quilômetros da linha de frente”.

O Seal foi abatido pelo “fogo direto” quando membros do grupo EI “entraram no front Peshmerga” na zona de Tal Asquf.

O militar era Charles Keating, 31, membro dos Navy Seals, a força especial da Marinha americana.

Segundo uma fonte da coalizão militar que combate o EI, foi “um ataque orquestrado com tiros e múltiplas bombas”. Os militares americanos “lutaram, mas eram poucos” e foram retirados de helicóptero.

Este é o terceiro militar americano morto em combate desde que Washington lançou a coalizão internacional para enfrentar o EI, em agosto de 2014. Outros 14 militares ficaram feridos.

Desde o início da campanha, os militares americanos e seus aliados da coalizão realizaram mais de 12 mil ataques aéreos contra o Estado Islâmico, e o Pentágono enviou cerca de 5 mil homens ao Iraque.

Ao menos 4 mil militares americanos permanecem no Iraque como parte da coalizão, para assessorar e treinar as forças iraquianas, mas sem participar diretamente dos combates terrestres contra o EI.

Alguns militares apoiam os peshmergas estacionados na província de Nínive, onde se encontra Mossul.

O secretário americano de Defesa, Ashton Carter, anunciou em recente visita a Bagdá o envio de mais 200 soldados e helicópteros de ataque para apoiar as forças iraquianas na reconquista de Mossul.

As forças federais iraquianas e curdas, apoiadas pela coalizão internacional, lançaram em março uma ofensiva contra o EI para retomar Mossul e se encontram atualmente a menos 50 km da cidade.

lby-elm/vog/lr

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *