Últimas

Mulher suspeita de esfaquear cadela fazia magia negra com animais, diz OAB

Representantes da entidade vão procurar a Polícia Civil até sexta-feira para prestar queixa

 

A mulher suspeita de esfaquear a própria cadela até a morte, conforme denúncia de moradores, publicada nessa quarta-feira (11), na Gazetaweb, fazia rituais de magia negra com animais dentro da casa onde mora, no conjunto Dubeaux Leão, no Tabuleiro do Martins, em Maceió. Esta informação foi divulgada pela Comissão doBem Estar Animal, da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB-AL), que passou a acompanhar o caso. Representantes da entidade vão procurar a Polícia Civil até sexta-feira para prestar queixa e pedir investigação mais aprofundada.

A presidente da comissão, Rosana Jambo, informou que esteve na residência da mulher, na tarde dessa quarta-feira para pegar mais detalhes sobre o episódio e foram informados, tanto por parentes da mulher, conhecida como Marlene, apenas, como pelos vizinhos, de que ela era acostumada a recolher cadelas sem raça definida nas ruas e sacrificá-los em rituais de feitiçaria.

"Informaram que a mulher captava os animais nas ruas e as que estavam prenhas tinham a barriga cortada e os filhotes arrancados para uma espécie de sacrifício. A família confirmou que ela tinha envolvimento com magia negra e fazia rituais dentro de casa", informou Rosana Jambo.

 

Suspeita mora no Dubeaux Leão e é conhecida como Marlene

FOTO: CORTESIA À GAZETAWEB

Facadas por todo o corpo

 

Acerca da cadela que foi morta, a presidente da comissão da OAB relatou que havia facadas em todo o corpo do bicho, inclusive perfurações grandes na vagina, ânus e muitos pontos de queimaduras. O animal, como disseram os moradores, vinha sendo torturado há mais de uma semana. "Levava uma facada todos os dias, mas na terça-feira os golpes foram intensificados", disse Rosana. Um vizinho viu a cadela agonizando, tentou socorrê-la, mas não conseguiu evitar a morte.

A comissão da OAB informou que notificou Marlene e parentes dela a comparecerem à sede da ordem, na tarde desta quinta-feira (12), para prestar esclarecimentos e ser formulado um termo de declaração. O documento será encaminhado à Polícia Civil para o registro da ocorrência. Os parentes já adiantaram que vão providenciar o internamento da suspeita, por entenderem que ela sofre de distúrbios mentais.

"Contam os vizinhos que ela é acostumada a proceder com atos de perversidade contra os animais de sua rua, ocasiona morte de cães e gatos espalhando comida com veneno na rua e enforca cães que adentram em sua residência. É um pessoa de alta periculosidade, em sendo distúrbio mental, necessário à internação compulsória. Em se tratando de atos friamente arquitetados para levar a óbito os animais de forma cruel com uso de tortura, a denunciada deve ser responder por seus atos, até mesmo ser presa por todos os crimes cometidos com resultado óbito da forma relatada", destaca a presidente da comissão.

Segundo Rosana Jambo, a mulher mora sozinha atualmente, tem cerca de 45 anos, porém já dividiu a casa com um filho. "Disseram pra gente, ainda, que ela tentou envenenar o próprio filho e agrediu uma senhora em via pública", revela. "Vamos pedir para que a polícia tome as providências neste caso e impeça esta mulher de ter convívio com a sociedade", completa.

 Por Thiago Gomes | Portal Gazetaweb.com   

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *