Últimas

Noite de terça teve críticas políticas no Cine PE

Ator Nizo Neto e diretor Bruno Safadi apresentaram O Prefeito no palco. Foto: Daniela Nader/ Divulgação
Ator Nizo Neto e diretor Bruno Safadi apresentaram O Prefeito no palco. Foto: Daniela Nader/ Divulgação

 
Graças a um discurso e um filme, o festival Cine PE abrigou dois momentos de críticas ao sistema político brasileiro na noite de terça-feira no Cinema São Luiz. O primeiro veio do jornalista Houldine Nascimento, que foi aplaudido ao protestar contra a presença do deputado federal Eduardo Cunha na condução do processo de impeachment da presidenta Dilma Roussef. Ele discursou ao subir ao palco para apresentar o curta O imperador da Pedra do Reino, documentário sobre a obra de Ariano Suassuna, dirigido junto com Wanderley Andrade. A segunda crítica política veio do próprio conteúdo de um filme, o longa-metragem O prefeito, do diretor carioca Bruno Safadi.

O prefeito retrata a política brasileira como um jogo de tabuleiro onde as peças são pedras de demolição. Com poucas cores, marcado pelo preto e pelo cinza, o filme é ambientado principalmente nos escombros de um sítio histórico em meio a algum tipo de reforma urbanística em andamento. O ator Nizo Neto interpreta um delirante e poderoso político megalomaníaco que quer transformar o Rio de Janeiro em um país independente. Os discursos do personagem muitas vezes parecem surreais, mas muito do que ele diz é bastante semelhante a projetos e situações mirabolantes presentes na realidade brasileira. “Política é 95% presente, 5% passado e foda-se o futuro”, diz o prefeito em uma das cenas.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *