Últimas

O traidor da pátria que barrou a antiga obsessão do Barcelona na Liga

  • Daniel Mihailescu-4.out.2013/Getty Images

    O ex-zagueiro Miodrag Belodedici, que foi bicampeão da Liga por dois times diferentes

    O ex-zagueiro Miodrag Belodedici, que foi bicampeão da Liga por dois times diferentes

O dia 7 de maio de 1986 não sai da cabeça do ex-zagueiro Miodrag Belodedici. O dia 29 de maio de 1991, também não.

Primeiro jogador a conquistar a Liga dos Campeões da Europa por dois clubes diferentes, o ex-defensor romeno alcançou o feito que marcou sua carreira da maneira mais surpreendente possível.

Há exatos 30 anos, Belodedici participou daquela que é considerada a maior zebra da história das finais europeias: a vitória nos pênaltis do Steaua Bucareste sobre o Barcelona, dentro da Espanha. O detalhe é que aquele poderia ter sido primeiro título europeu do clube espanhol, que tentava começar a se aproximar do rival Real Madrid.

David Cannon-7.mai.1986/Allsport

Lance da final da Champions, em 1986; na foto, o goleiro Urruti, do Barça, impede que o romeno Lacatus alcance a bola

A partida, disputada em Sevilha, terminou 0 a 0 no tempo normal, foi decidida nos pênaltis e consagrou o goleiro Helmuth Duckadam, que defendeu as quatro cobranças da equipe catalã.

“Éramos de um país comunista, fechado, ninguém conhecia o Steaua. Foi uma grande surpresa para nós aquele título, não imaginávamos que poderíamos ganhar. Achávamos que o Barcelona era muito melhor do que realmente era”, disse Belodedici, por telefone.

Cinco anos depois, veio o segundo grande e inesperado momento da carreira do zagueiro. Uma nova final europeia por um time pouco conhecido internacionalmente, o Estrela Vermelha, da Iugoslávia. E mais uma taça conquistada nos pênaltis, depois de outro empate sem gols, contra uma equipe mais tradicional, o Olympique de Marselha.

Mas, para ter a oportunidade de ser bicampeão europeu, Belodedici teve de fugir de sua terra natal, aceitar ser considerado um traidor em seu país e abdicar de jogar uma Copa do Mundo.

Dois anos depois de ganhar a Liga dos Campeões pelo Steaua e assediado por clubes do exterior, o jogador decidiu que era hora de deixar a Romênia, ainda em meio à ditadura comunista de Nicolae Ceausescu.

“Saí legalmente, com passaporte e tudo. Mas, quando cheguei na Iugoslávia, pedi asilo político. Depois, bati na porta do Estrela Vermelha e pedi para jogar por lá. O problema é que o Steaua era um clube militar, então eu tinha cargo de tenente. E, como todo oficial que abandona sua função no Exército, fui considerado um desertor.”

Stephen Dunn-3.jul.1994/ALLSPORT

Belodedici tenta desarmar o argentino Diego Simeone em duelo válido pela Copa de 1994

Julgado pelo tribunal militar, foi condenado a dez anos de prisão. A pena foi revogada após a queda do regime, em dezembro de 1989. Para não correr risco de ir para a cadeia, ficou três anos sem pisar na Romênia. Também deixou de ser convocado para a Copa-1990.

Belodedici só pode disputar o Mundial quatro anos depois, quando ajudou a Romênia de Hagi e Raducioiu a eliminar a Argentina e chegar até as quartas de final. Ainda jogou na Espanha (Valencia, Valladolid e Villarreal) e no Atlante.

Encerrou a carreira em 2001, como capitão de um Steaua Bucareste que já nem sonhava mais em repetir aquele feito histórica de 1986.

“Os clubes de países do Leste Europeu já consideram um título hoje quando conseguem entrar na fase de grupos da Champions”, lamenta o bicampeão.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *