Últimas

Prefeitura anuncia ações de estruturação dos chuveirões da orla de Boa Viagem

A Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife (Semoc) anuncia, nesta segunda-feira, ações de estruturação dos chuveirões da orla de Boa Viagem. A entrevista coletiva acontece esta manhã, na Prefeitura do Recife. O anúncio será feito também por representantes da Secretaria de Saúde do Recife, do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) e da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

Em maio deste ano, a Secretaria Estadual de Turismo lançou o edital de licitação para as obras de construção de 150 chuveiros na faixa de areia dos dois municípios. Do total, 120 serão instalados na capital pernambucana e 30 em Olinda. O prazo de conclusão das obras será de oito meses. O projeto será realizado por meio do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), em parceria com a Compesa.

O secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreras, explicou que o projeto surgiu a partir da recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) de interditar os chuveirões de Boa Viagem depois que uma pesquisa das universidades Federal (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) alertou, em 2014, para a contaminação da água dos equipamentos artesanais instalados por ambulantes ao longo da orla da Zona Sul da cidade. “Em parceria com a Compesa, disponibilizaremos os chuveirões com água tratada. Os novos chuveiros vão beneficiar os banhistas locais e turistas”, pontuou. Procurada pelo Diario, a Compesa não respondeu sobre o projeto.

O trabalho que identificou a contaminhação da água dos chuveirões, denominado Diagnóstico da qualidade das águas dos chuveirões da praia de Boa Viagem, foi realizado pela estudante de farmácia Luísa Almeida e pela de química industrial, Renata Silva, além da química Lúcia Assunção. Elas identificaram 78 chuveirões a partir de poços perfurados por barraqueiros ao longo da orla. Depois, coletaram 10 amostras diferentes, utilizando os critérios de profundidade dos poços (5 a 8m) e tempo de funcionamento (9 a 30 anos). Duas amostras de cada chuveirão foram retiradas e submetidas a uma análise microbiológica e físico-química. O resultado demonstrou um nível de contaminação maior do que o indicado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

No dia 19 de abril, a 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital determinou que a Prefeitura do Recife fizesse a análise ou reanálise da qualidade da água de todos os chuveiros, poços e quiosques da Praia de Boa Viagem em até 45 dias. O prazo acaba no próximo dia 30. A decisão judicial ressaltou ainda que todos os que estiverem contaminados com a bactéria Escherichia coli devem ser interditados. A decisão da Justiça atendeu a um pedido da promotora de Justiça de Defesa do Consumidor da Capital, Liliane Rocha, do Ministério Público de Pernambuco.

O Centro de Vigilância Ambiental do Recife informou que está realizando coleta nos chuveirões para análise da água. “A emissão dos laudos está dentro do prazo de 45 dias estabelecido pelo Ministério Público”, respondeu o órgão. Já a Prefeitura de Olinda esclareceu que a orla do município não tem chuveiros públicos. “Em relação à instalação dos equipamentos referentes ao projeto da Secretaria Estadual de Turismo, a prefeitura ressalta que, assim que a questão for formalizada com a secretaria municipal responsável, as medidas cabíveis serão tomadas para dar continuidade ao projeto”, explicou por nota.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *