Real Madrid 1 (5) x 1 (3) Atlético de Madrid: Real vence Atlético nos pênaltis e conquista a 11ª Champions League

Em um duelo emocionante decidido no pênaltis, Juanfran perde cobrança decisiva e Cristiano Ronaldo garante a 11ª conquista dos Blancos na Liga dos Campeões

Mais que uma decisão. Uma batalha. Real e Atlético de Madrid fizeram um duelo de gladiadores no Estádio San Siro, em Milão. Os merenegues saíram na frente com um gol de Sergio Ramos no 1º tempo. O Atlético ainda perdeu um pênalti com Griezmann, mas chegou ao empate aos 33 da segunda etapa com Carrasco.

E mesmo jogando melhor que o rival madrilenho nos 90 minutos e na prorrogação, o Atlético foi derrotado nas cobranças de pênaltis. Juanfran errou para os Colchoneros e Cristiano Ronaldo, apagado no jogo, converteu a cobrança que garantiu a 11ª taça da UEFA Champions League para o Real Madrid.

O jogo

Muito equilíbrio e cada palmo em campo era disputado como se fosse um território em zona de conflito bélico. Assim foi o começo da grande decisão. Qualquer vacilo poderia gerar perigo. Aos 15 minutos o Real abriu o placar. Kross cobrou falta na intermediária, Bale desviou para o meio da pequena área, e Sergio Ramos, em posição irregular, tocou para o gol e balançou as redes colchoneras.

O tento deixou o Atlético mais afobado em campo. O time de Simeone tinha mais posse de bola, mas não encontrava espaços, já que o Real se fechava muito bem na linha de defesa que iniciava em Casemiro. O volante brasileiro, por sinal, era o dono da meia cancha ao lado de Toni Kross. A dupla não cedia espaço ao adversário e quando sai jogando deixava os companheiros em boas condições.



Os primeiros 45 minutos da grande final tiveram um Atlético com maior volume de jogo, enquanto o Real era mais compacto e eficiente nas articulações entre as linhas de transição de jogo. Cristiano Ronaldo foi anulado e mal conseguiu encontrar espaços. Griezmann arriscava de fora de área, mas sem levar perigo à meta de Navas.

A etapa final ainda guardava fortes emoções para os torcedores. Logo aos 2 minutos, Pepe derrubou Fernando Torres na área. Pênalti marcado. Griezmann mandou de canhota no travessão. A chance perdida não abalou os comandados de Simeone que seguiram pressionando o Real, mas pecando nas finalizações. Savic também teve a oportunidade de empatar e também perdeu.

Seria injusto se os 90 minutos de um grande jogo terminasse de forma tão simples e, de certa forma, injusta. Contudo, a justiça se fez. De tanto insistir o Atlético chegou ao empate. Aos 35 minutos, Carrasco aproveitou cruzamento de Juanfran e estufou a rede de Navas. O empate deixou o jogo ainda mais aberto e fez as duas esqudras buscarem a vitória até o apito final.




(Fotos: Getty Images)

Como em 2014, o título mais importante do continente europeu seria decidido na prorrogação. Nos primeiros 15 minutos o Atlético exerceu uma pressão e dominou o Real Madrid. O time de Simeone foi superior. O minutos finais foram de pura luta e disposição. Os exauridos 22 jogadores em campo ainda tinham as cruéis cobranças de pênaltis para definir quem manda no Velho Mundo.

E nesse fenômeno social chamado futebol, que alguns insistem erroneamente em dizer que “é apenas um jogo”, nem sempre vence o melhor. Os gladiadores de Cholo Simeone caíram nas cobranças de pênaltis, quando Juanfran mandou a chance do Atlético explodir na trave do San Siro, enquanto o apagado Cristiano Ronaldo converteu para os Merengues. Para os bravos colchoneros fica a lição do mestre Edurdo Galeano: ganhamos,perdemis, igual nos divertimos.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

1 comentário

  1. Èo real madrid seus mérdas kkkkk zoas !!!!!!!!!!! ganhamos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *