Rússia é acusada de dificultar investigação de doping no país

Londres, 11 Mai 2016 (AFP) – A emissora britânica Sky acusou nesta quarta-feira a Rússia de não colaborar plenamente com os investigadores da agência antidoping britânica encarregados de ajudar o país a endireitar seu caminho, após o escândalo que misturou doping e corrupção e que resultou no banimento do atletismo russo.

A Sky, que cita fontes na entidade antidoping, afirma também que o número de exames antidoping na Rússia estão em queda livre.

Após a suspensão do atletismo russo de toda competição -inclusivo dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (5-21 de agosto)-, a Agência Mundial Antidoping (Wada) pediu à Agência Britânica Antidoping (Ukad) para que ajudasse os russos a reformar seus programas internos, uma obrigação para que os atletas do país pudessem voltar a competir.

Segundo fontes da emissora britânica, porém, os agentes precisam anunciar suas visitas com 30 dias de antecedência e a alfândega russa confisca sistematicamente por 48 horas as amostras de sangue que precisam ser analisadas em laboratórios estrangeiros.

Como consequência, o número de exames antidoping realizados na Rússia está longe dos 1000 por mês conduzidos no passado pela Rusada, a Agência Russa Antidoping, antes da suspensão.

Segundo a emissora britânica, o problema será oficialmente abordado durante a reunião da Wada em Montreal, nesta semana. A Wada reuni seu Comitê Executivo nesta quarta-feira e seu conselho de fundadores na quinta-feira.

A Federação Internacional de Atletismo (Iaaf) tomará uma decisão definitiva sobre a presença ou não de representantes da Rússia nas competições da modalidade no Rio para os Jogos Olímpicos na reunião de seu próprio conselho, em 17 de junho em Viena.

“Não há base para que nossa equipe não participe dos Jogos”, afirmou o ministro russo dos Esportes, Vitaly Mutko, à Sky. “O atletismo é muito popular na Rússia e a maioria dos atletas é honesta. Estamos trabalhando há quatro meses com a Ukad. No primeiro mês, foram 67 exames, no segundo foram 150 e agora estamos a 200 exames”.

A Ukad e a Wada não quiseram se pronunciar.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *