Texas alcança marco de mais de um milhão de armas de fogo

  • Ilana Panich-Linsman/The New York Times

    Candy Martin e seu filho, Christopher Martin, usam armas abertamente ao almoçar em uma lanchonete Subway em Austin, no Texas

    Candy Martin e seu filho, Christopher Martin, usam armas abertamente ao almoçar em uma lanchonete Subway em Austin, no Texas

O Estado do Texas atingiu discretamente um marco: mais de 1 milhão de habitantes agora possuem licença de porte de arma, a maior população no país autorizada a portar revólveres, escondidos ou não. O governador Greg Abbott, um republicano, é uma dessas pessoas, assim como o único ex-governador democrata vivo do Estado, Mark W. White Jr. Esses portadores de licença, apenas 3,7% da população de 27 milhões do Estado, são um símbolo das guerras culturais do país e tema de análise, orgulho estadual, controvérsia e curiosidade.

–1.017.618 pessoas no Texas tem licença de porte de arma

Até 30 de abril, havia 1.017.618 portadores ativos de licença de porte de arma no Texas, segundo a agência estadual que supervisiona o processo, o Departamento de Segurança Pública. Isso significa que há mais pessoas no Texas autorizadas a portar arma do que moradores na cidade de Fort Worth.

Os números do Texas ultrapassam em muito os de vários outros Estados. Oklahoma conta com mais de 251 mil. A Carolina do Sul tem 276.084. O Estado de Washington, 534.978. O Tennessee, 555.865. Mas pelo menos um Estado possui mais cidadãos com licença de porte de arma: a Flórida, com 1.743.954.

Entretanto, o Texas, com 5.672 portes emitidos por 100 mil adultos com 21 anos ou mais, não é o Estado com mais licenças de porte de arma per capita. A Flórida (11.965 licenças por 100 mil adultos), o Tennessee (11.851 por 100 mil adultos) e o Estado de Washington (10.635 por 100 mil adultos) são alguns dos líderes por essa medição.

–139.563 pessoas com licença de porte de arma no condado mais populoso do Estado

O condado com maior número de pessoas com licença de porte de arma (139.563) é Harris, que inclui Houston e é o condado mais populoso do Texas, com 4,5 milhões de moradores. Mais pessoas têm licença de porte de arma no condado de Harris do que em todo o Estado da Louisiana (94.638 portadores de licença).

O condado com menor número de licenças de porte de arma é o menor do Estado: o condado de Loving, no oeste rural do Texas. Dos 112 habitantes, quatro têm licença, segundo o Departamento de Segurança Pública e dados do censo. Um é o juiz, Skeet Lee Jones, a mais alta autoridade eleita do condado.

Ao ser perguntado se estava armado enquanto falávamos ao telefone recentemente, Jones disse que tecnicamente não estava. Mas, acrescentou: “Tenho uma na gaveta da minha mesa”.

–18 anos, a idade mínima para obtenção de licença

De modo geral, os requerentes para licença de porte de arma no Texas devem ter pelo menos 21 anos. Uma exceção é feita aos membros das Forças Armadas: militares do serviço ativo que tenham pelo menos 18 anos estão autorizados a obter a licença. Mas as pessoas com licença de porte de arma em geral são mais velhas. Dentre o 1 milhão em todo o Estado, 22.871 têm 55 anos, o maior grupo etário de portadores de licença.

Ilana Panich-Linsman/The New York Times

C.J. Grisham, presidente da Open Carry Texas, na cidade de Temple

Em janeiro, uma lei entrou em vigor dando às pessoas com licença de porte de arma escondida a opção de carregarem abertamente sua arma no ombro ou em um coldre de cintura. Mas passados alguns meses, poucas pessoas adotaram o chamado porte aberto. “Isso é exibicionismo”, disse White, o ex-governador. “Acho isso inconveniente.”

–6 é o máximo de horas de aulas de instrução exigido

Os texanos autorizados a ter posse de revólver (o Estado não exige autorização para posse de espingarda ou rifle) precisam investir tanto tempo quanto dinheiro. Os requerentes precisam ter suas impressões digitais coletadas, completarem de quatro a seis horas de curso de treinamento e realizar uma prova escrita. Eles também precisam passar por um teste de tiro supervisionado por um instrutor certificado pelo Estado, assim como passar por uma checagem de antecedentes criminais.

Pessoas com condenação, ordens de restrição contra elas e outros problemas legais ou de saúde mental não podem ter porte de arma.

–US$ 140 é o custo de uma licença

Os requerentes de porte de arma devem pagar ao Estado US$ 140 (cerca de R$ 490). A taxa para renovação da licença é de US$ 70 (cerca de R$ 245). Há gastos adicionais, incluindo o serviço de coleta de impressões digitais.

Alguns pagam mais que outros. Os militares não pagam as taxas do requerimento. Pessoas da terceira idade têm desconto. E com uma das mais altas taxas de pobreza no país, o Texas faz uma oferta incomum aos seus pobres: o chamado desconto de indigente para requerentes de porte de arma.

Pessoas que se encontram abaixo da linha de pobreza federal pagam uma taxa reduzida de US$ 70 pelo requerimento inicial e US$ 35 (cerca de R$ 123) pela renovação da licença.

–268.200 mulheres têm porte de arma no Texas

O 1 milhão de texanos é composto por 268.200 mulheres e 749.418 homens, segundo o Departamento de Segurança Pública. A maioria desses homens e mulheres (873.166) é branca, mas os dados da agência são limitados: eles incluem raça, mas não etnia, como latino.

Dentre o restante, 67.952 são negros, 22.115 são asiáticos ou das ilhas do Pacífico, e 4.126 são nativo-americanos ou nativos do Alasca. Outros 12.936 se identificam como multirraciais e 37.323 são listados como outro ou desconhecido.

–113.640 licenças de porte de arma emitidas em 1996

O Legislativo do Texas aprovou uma lei de porte de revólver escondido em 1995, que entrou em vigor no ano seguinte. Os defensores do direito de porte de arma gostam de apontar que o Legislativo na época não era de maioria republicana, como agora, mas sim de maioria democrata.

Em dezembro de 1996, havia 113.640 pessoas com licença ativa de porte de arma. Passados quase 20 anos, cerca de 904 mil se somaram a esse número.

“Eu diria que aqueles que previam tiroteios nos cruzamentos precisam pedir desculpas ao restante de nós”, disse Jerry Patterson, o ex-senador estadual e piloto de caça do Corpo do Marines que foi o autor da lei de 1995.

Tradutor: George El Khouri Andolfato
Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *