Últimas

Tribuna SBTpedia: Silvio Santos, sucesso também no rádio – Parte 2, por Rafael Fialho

Áudios desencontrados, poucos trechos disponíveis, quase nada escrito sobre o tema: esse é o cenário para quem começa a pesquisar a história de Silvio Santos no rádio. A falta de registros, contudo, não deve restringir a busca pela reflexão sobre essa importante fase do apresentador, que certamente contribuiu para sua atuação na TV.

 Silvio Santos atuando como locutor. Reprodução de http://baudomaga.com.br/perolas/category/radio/

Quem nos ajuda nessa tarefa (iniciada na semana passada) é Maria Immacolata Vassallo de Lopes, pesquisadora consagrada, em sua dissertação de mestrado intitulada O rádio dos pobres: estudo sobre comunicação de massa, ideologia e marginalidade social escrita em 1982. A descrição da autora é valiosa para percebermos como se estruturava o programa de Silvio Santos. Isso porque, em seu trabalho, a autora aborda o consumo de programas radiofônicos populares pelas classes subalternas, tomando como objeto empírico as atrações de Gil Gomes (policial), Zé Bettio (musical) e Silvio Santos (variedades).

Immacolata analisou cinco edições entre setembro e novembro de 1980, quando o programa de Silvio ia ao ar todos os dias, das 9h30 às 10h30 na Rádio Record. Nessa época o apresentador já gozava de expressiva popularidade na televisão, pois já havia conseguido a concessão do canal 11 no Rio de Janeiro quatro anos antes, criando a TVS Rio que, em 1981, viria a integrar o SBT.

Os temas do programa de Silvio eram bem diversificados, divididos em seções como culinária, beleza, administração do lar, horóscopo, saúde e bem estar, moda etc – conteúdo que, na visão da pesquisadora, contribuiria para reforçar padrões de comportamento, valores e papéis da mulher na sociedade. A começar pelas vinhetas, cantadas predominantemente por vozes femininas, que entoavam em timbres doces e agudos as mais variadas mensagens. Tais vinhetas teriam a função de representar a participação das ouvintes, já que, protagonizadas por mulheres, fariam as vezes das “colegas de trabalho” presentes no auditório do programa de Silvio na televisão.

No quadro abaixo, você confere como se estruturava o conteúdo da atração radiofônica de Silvio Santos:

Quadros do Programa Silvio Santos na Rádio Record em 1980. Elaborado pelo autor com base em Lopes (1982)

Os temas mais recorrentes nos programas analisados foram sucesso, sorte, sexualidade e felicidade, podendo ser abrigados no discurso mítico da “fama e fortuna”, nos sentidos de sorte e riqueza que são típicos do imaginário construído por Silvio Santos. O programa ainda cumpriria a importante função de promover a atração televisiva e os demais negócios do apresentador.

Na visão da autora, a relação que os(as) ouvintes estabeleciam com o Programa Silvio Santos era de projeção, já que a atração investia em conteúdos e abordagens que mobilizavam o mito do urbanismo – o sucesso (ou a fama) e o enriquecimento (ou a fortuna). Como tais valores seriam irrealizáveis a nível concreto para o público popular do apresentador, caberia aos ouvintes engajarem-se em uma relação de evasão, projetando-se e imaginando um futuro de riquezas que somente os prêmios do Baú da Felicidade poderiam tornar possível. Ela ainda identificou o discurso de sorte e destino em outros quadros do programa, como os conselhos, o horóscopo e os exemplos da vida de sucesso dos artistas, por exemplo.

Os principais motivos apontados pelos ouvintes para acompanharem o Programa Silvio Santos foram: o apresentador, a diversão, a informação e os prêmios. A voz de Silvio foi outro aspecto destacado pelos receptores, que a consideraram alegre, comunicativa, boa, bonita, agradável, confiante, espontânea e natural. Com a função emotiva exercida pela voz entusiasmada e natural, o efeito de sentido se caracterizaria por um alto nível de envolvimento psicológico dos ouvintes.

Infelizmente, é muito difícil encontrar uma edição inteira do programa, mas alguns áudios no Youtube nos dão a dimensão de como era o trabalho de Silvio no rádio. Coloco na playlist abaixo os poucos registros encontrados:

[embedded content]


Referência bibliográfica

LOPES, M. O rádio dos pobres: estudo sobre comunicação de massa, ideologia e marginalidade social. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Programa Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1982.

*Jornalista, Rafael Fialho é doutorando em Comunicação Social pela UFMG e fez do SBT seu objeto de estudo: pesquisa o canal há tempo, tendo se dedicado a pesquisas sobre os SBTistas, Silvio Santos e sobre a interação da emissora com seu público a partir das vinhetas. Atualmente pesquisa a tematização da violência contra a mulher no programa Casos de Família. Escreve artigos de opinião às quartas-feiras no SBTpedia. Para conhecer seus trabalhos sobre o SBT, mandar críticas, sugestões ou trocar ideias, escreva para rafaelbfialho@gmail.com     

Fonte: SBTpedia (www.sbtpedia.com.br)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *