Val Marchiori fala de acusação em empréstimo de R$ 2,8 milhões: 'Nada fiz de errado'

Investigada pelo Ministério Público Federal por ter obtido um empréstimo ilegal no Banco do Brasil no valor de R$ 2,8 milhões, Val Marchiori afirma não ter conhecimento da acusação. Através de um comunicado enviado por ela ao EXTRA no início da tarde desta quarta-feira, a socialite, no entanto, adiantou que “nada fez de errado”.

Segundo informações do colunista de “O Globo”, Lauro Jardim, O MP denunciou Val por ela ter obtido um financiamento ilegal no Banco do Brasil por meio do programa BNDES Sustentação do Investimento. O empréstimo teria sido de R$ 2,792 milhões e usado para a compra de caminhões.

“Espanta-me que a imprensa disponha dessa informação antes de mim e de meus advogados, uma vez que o procedimento pelo qual fui investigada, e no qual cabalmente restou demonstrada minha inocência, tramitou em sigilo. (…) Eu e meus advogados ainda não tivemos conhecimento do exato teor da acusação. (…) Registro, porém, que nada fiz de errado”, defende-se.

Ainda segundo o colunista, Val teve a colaboração de seu irmão, Adelino Marchiori, e do gerente do Banco do Brasil Alexandre Canizella, para alterar, um mês antes do financiamento, o objeto social da Torke Empreendimentos, empresa pela qual contraiu o empréstimo.

“Todas as minha atividades, bem como as da empresa Torke, foram e são absolutamente lícitas e regulares”, afirma Val.

A socialite teria ainda usado o restante do limite de crédito aprovado para comprar um Porsche Cayenne.

Veja abaixo o comunicado enviado por Val Marchiori ao EXTRA:

Fonte: Jornal Extra (http://extra.globo.com)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *