A meninada e o goleirão

Rogério Micale, 47, é dez anos mais velho que Fernando Prass, que terá 38 na Olimpíada.

Douglas Costa tem 25 e Neymar, 24.

Os demais 15 convocados têm 23 anos ou menos, como os Gabriéis, do Palmeiras e do Santos, com apenas 19.

Todos terão a experiência única de disputar uma Olimpíada em casa, com o incentivo, e a pressão, da torcida.

Prass tem bola para ser o goleiro titular da seleção principal, foi de uma seleção sub-20, e é a grata notícia no grupo que buscará o ouro que jamais veio.

Fará falta ao Palmeiras, assim como Gabriel Jesus, na campanha pelo Brasileirão —do mesmo modo que o Santos terá três enormes desfalques pelas ausências de Zeca, Thiago Maia e Gabigol.

O futebol, como se sabe, é um esporte contestado nos Jogos Olímpicos, por ser o único que não é representado pelo que cada país tem de melhor, privilégio da Copa do Mundo, embora os Estados Unidos também não se apresente com tudo que poderia no basquete, o que é uma pena, assim como o golfe.

Este, por sinal, estreante nos Jogos, objeto do maior absurdo das parcerias público-privadas feitas para a Rio-16, talvez nem esteja nos próximos.

Voltemos ao ludopédio.

Micale tem apenas um ano a menos do que tinha Vanderlei Luxemburgo quando dirigiu o time na Olimpíada de 2000, em Sydney. Mas muito mais conhecimento da equipe que dirigirá, vice-campeão mundial com o time sub-20, na Nova Zelândia, derrotada pela Sérvia, por 2 a 1, ao faltarem dois minutos para terminar a prorrogação, no ano passado. Gabriel Jesus jogou.

Micale nem conhece Neymar, diferentemente de Luxemburgo, que conhecia todas as estrelas e até se comportava como se fosse maior que elas.

Talvez seja bom, para que Neymar seja tratado como mais um e, quem sabe, se comporte feito gente grande, não como menino mimado diante de tantos garotos ainda inseguros.

O goleirão do Palmeiras será fundamental para servir como exemplo.

Nada afetado, consciente da profissão e das mazelas que a contaminam no futebol cebefeano, talvez Prass seja o exemplo de que Neymar precise para amadurecer e perceber que ser popstar é o pior caminho para quem busca superar Messi e não apenas repetir Ronaldinho Gaúcho.

Ronaldinho estava no time de 2000, que esnobou levar jogadores com mais de 23 anos, e foi eliminado nas quartas de final por Camarões, de Eto’o, ao perder por 2 a 1, gol de ouro africano na prorrogação, com dois jogadores a menos em campo.

Ao chamar também o excelente Douglas Costa na cota dos de mais de 23 anos, nada indica que Micale cometerá o mesmo erro de Mano Menezes, 50 anos à época, que levou Hulk para Londres, em 2012, e o deixou no banco na desastrada decisão contra o México —outra derrota por 2 a 1, gol de Hulk, nos acréscimos, depois que entrou em campo e mudou a cara do jogo, ainda aos 30 do primeiro tempo.

Prass tem mais rodagem que todos, aí incluído o competente Micale.

Não só não se abaterá com pressão como gosta dela.

Tem o perfil para comandar os garotos, idade para ser pai de alguns deles, humor para ser tratado como tiozão e sabedoria para ser o vovô da molecada.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook