Últimas

Alisson: " O Brasil é a primeira força do futebol sulamericano"


Mesmo depois de recentes fracassos, o goleiro da Seleção Brasileira afirmou que o Brasil continua sendo a maior força do continente

Depois da eliminação precoce na Copa América Centenário, os jogadores da Seleção Brasileira desembarcaram no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 11h40 desta terça-feira.

 

Um dos atletas que pararam para falar com a imprensa foi o goleiro Alisson. O jogador utilizou o discurso de que o Brasil teve um bom desempenho e que a Seleção ainda é a primeira força do futebol sulamericano.

 

“Deu errado o resultado, nós analisando jogo a jogo tivemos um desempenho bom e infelizmente o futebol é resultado. Nesse momento de derrota é ruim para a gente por alguns erros, de faltar fazer o gol, mas o erro não é de um ou de outro é do grupo todo. Temos que assumir nossa parcela, temos que bucar o ponto positivio. buscar aprimorar e analisar. Temos que melhorar e buscar o melhor pra Seleção.”

 

Em sexto lugar na tabela de classificação das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, Alisson foi questionado se o Brasil é a sexta força do futebol sulamericano. O goleiro foi direto.

 

“Não. O Brasil é a primeira força do futebol sulamericano.”

 

O jovem Rodrigo Caio, que não entrou em campo durante a competição também parou para atender a imprensa. O jogador afirmou que a eliminação foi uma fatalidade

“A gente trabalha, a gente se dedica, a gente viu que nos treinamentos nos dedicamos bastante. Numa fatalidade saímos fora. Essa palavra vergonha não pode existir. Todo mundo trabalha bastante. A gente se dedica. Uma fatalidade aconteceu. Claro que poderiamos ter dado um pouco mais, mas temos que levantar a cabeça.”

Rodrigo Caio também se mostrou a favor da permanência de Dunga.

“Ele não falou nada, é uma conversa mais interna, da direção com eles e a gente espera que ele possa seguir conosco e a gente dar a volta por cima.Isso é algo mais da direção, a gente não pode optar muito, sabemos da qualidade do Dunga, dentro de campo e nos treinamentos o que ele mostra pra gente. Infelizmente numa fatalidade fomos desclassificados. Sabemos que precisamos melhorar no coletivo e no individual. Mas temos que seguir forte e seguir trabalhando.”

Outro que também se posiciou contra a mudança de comando técnico foi o atacante Jonas.

“Acho que a agora tem que ter calma, tranquilidade. As pessoas que coordenam a CBF tem que passar tranquilidade para quem está comando e todos os jogadores e torcedores também. Eu não sou muito a favor de trocar treinador em um tempo curto de espaço, mas isso não é decisão minha.”

 

 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook