Últimas

Após eliminação, Dunga culpa arbitragem e diz não ter medo de demissão

Seleção Brasileira perde para o Peru por 1 a 0 e está fora da segunda fase da Copa América Centenário

Depois de um bom primeiro tempo, a Seleção Brasileira caiu de rendimento e viu a equipe do Peru crescer na segunda etapa, e com um gol de mão, válidado pela arbitragem, os comandados de Ricardo Garega venceram a partida por 1 a 0 e eliminaram a Seleção.

 

Na coletiva de imprensa o técnico Dunga se mostrou bastante chateado com o resultado e lamentou a decisão do arbitro de validar o gol. Dunga também falou sobre a possibilidade de deixar o cargo.

 

Confira os principais trechos:

 

 

Acostumar com eliminações:

 

“Se acostumar nunca, ninguém gosta de perder ainda mais os jogadores brasileiros. É um momento difícil que estamos passando mas falando espeficificamente de hoje, o Brasil teve o controle do jogo. Mas é o que eu disse, o imponderável não tem o que falar. Não deu pra entender por que o bandeirinha demorou, não deu pra entender os quatro minutos. Passou no telão, foi mão clara. Não tem como ter uma influencia sobre isso.”

 

Falta de individualidade:

 


(Foto: Getty Images)

 

“No primeiro tempo teve essa individualidade, faltou a gente definir o jogo no primeiro tempo. Sabemos que o Peru ia jogar por uma bola, uma jogada área ou um chute de fora, tentamos neutralizar e é normal também no final você tentar arriscar mais esse chute.”

 

Continudade do trabalho:

 

“Sem dúvida, a medalha vai ser uma pressão porque o Brasil nunca venceu, então, lógico que quando se tem uma derrota sempre vai ter a cobrança. Mas tenho certeza que o torcedor viu o jogo principalmente o primeiro tempo e viu como o Brasil foi eliminado, não foi eliminado dentro do futebol.”

 

Erros de arbitragem:

 


(Foto: USA Today)

 

“Não é normal, o Brasil, como falamos foi a segunda vez que aconteceu na história. Mas nunca aconteceu na história o Brasil ser eliminado num gol de mão como foi hoje. Logo no inicio do jogo teve algumas faltas, penalti no Coutinho e o juiz muito perto não deu e isso me faz lembrar um pouco o que falou o presidente do Paraguai.”

 

Medo de ser demitido:

 


(Foto: Getty Images)

 

“Só uma coisa eu tenho medo, da morte. Do resto eu não tenho. É um trabalho, depois da Copa do Mundo teve uma reformulação, elogiamos a Alemanha em 14 anos de trabalho e no Brasil queremos que em dois anos se resolva tudo. Tem que ter paciência quando se inicia um trabalho, tem que persistir e ter consciencia naquilo que está se fazendo.”

 

Ausência do presidente pode ter prejudicado:

“Hoje com toda a tecnologia e cameras que tem o que me vem a dúvida é que com toda essa tecnologia a gente comete erros tão claros e tão evidentes, independente do presidente estar aqui ou não. O que não consigo entender é que eles estavam consultando e falando não sei com quem, eles precisavam falar entre os quatro. Me pergunto quem estavam consultando e de que forma.”

Com a derrota para o Peru, o Brasil encerrou a participação na Copa América Centenário em terceiro lugar no grupo B, atrás de Peru e Equador.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook