Argentina 2 x 1 Chile: Hermanos dominam e estreiam na Copa América com vitória sobre o atual campeão

Albiceleste teve o importante desfalque de Leo Messi, com uma lesão nas costas

Mesmo sem Lionel Messi, que ficou do banco como torcedor ilustre, a Argentina conseguiu uma vitória para começar a Copa América Centenário com a alma lavada. Com gols de Angel Di Maria e Ever Banega, os hermanos venceram o Chile por 2 a 1 na reedição da final do torneio no ano passado, que terminou com os chilenos campeões. No último minuto, Fuenzalida descontou.

Com o resultado, a Argentina se juntou ao Panamá na liderança do Grupo D, com três pontos. Chile e Bolívia dividem a lanterninha.

O Jogo

Diferentemente da partida que consagrou a seleção chilena nos pênaltis em 2015, desta vez a Argentina dominou de cabo a rabo. No que foi um dos melhores primeiros tempos da Copa América até aqui, a Albiceleste não abriu o placar por um capricho. Logo aos dois minutos, Gaitán, eleito para substituir Messi, lesionado, colocou uma bola no travessão.

Aos 22, Higuaín tocou de letra, a bola desviou e por pouco não enganou o goleiro Bravo. No minuto seguinte, Rojo, de cabeça, tirou tinta da trave esquerda. Di Maria também chegou perto em duas outras oportunidades, uma delas um cruzamento que quase pegou Bravo de surpresa. Para não dizer que Romero só acompanhou a partida, aos 30 ele fez a maior defesa do primeiro tempo, num chute certeiro de Alexis Sanchez. Com a pontinha dos dedos, evitou o gol chileno.


Di Maria homenageou a avó, falecida nesta segunda-feira (Foto: Getty Images)

O que faltou no primeiro tempo, porém, não faltou no segundo, e a Argentina tratou de transformar a superioridade em resultado. Aos seis minutos, Banega roubou a bola no meio-campo e serviu Di Maria, que ajeitou e bateu rasteirinho. Bravo aceitou: 1 a 0. Apenas cinco minutos mais tarde, o jogador do PSG devolveu a gentileza a Banega, que chutou da entrada da área. A bola desviou no biquinho da chuteira de Isla e entrou no cantinho: 2 a 0.

A vantagem poderia ter sido ainda maior, caso Bravo não tivesse salvado a pátria aos 21, em chute de Higuaín, e aos 47, numa finalização de Lamela. Antes disso, Rojo perdeu em uma cabeçada perigosa. No último minuto, o Chile cobrou uma falta e Romero saiu muito mal, deixando Fuenzalida com o gol aberto para descontar de cabeça: 2 a 1. O Grupo D entra em ação novamente na sexta-feira, dia 10. O Chile enfrenta a Bolívia, enquanto a Argentina pega o Panamá.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook