Banco Goldman Sachs prevê França como vencedora da Eurocopa

Um dos maiores bancos de investimentos do mundo, o Goldman Sachs atreveu-se uma vez mais a fazer previsões no futebol, como já havia acontecido na Copa do Mundo de 2014. Desta vez, a instituição americana antecipou, por sua conta e risco, todos os resultados da Eurocopa, torneio que terá início nesta sexta-feira (10), às 16h (de Brasília), com o jogo entre França e Romênia. E o banco aposta que a seleção da casa ganhará o torneio continental pela terceira vez em sua história.

As previsões do Goldman Sachs são feitas com base em um modelo de classificação usado originalmente no xadrez e que foi adaptado ao futebol. O sistema tem catalogados todos os jogos da história da Eurocopa, que teve sua edição inaugural realizada em 1960.

Entre os itens utilizados para a elaboração das previsões estão os gols marcados por cada time nos dez últimos jogos, os gols sofridos nas duas últimas partidas, o fator casa e o desempenho histórico na Eurocopa.

Com base nesses critérios, o Goldman Sachs concluiu que a França tem 23,1% de chances de ser campeã. Em segundo lugar, aparece a Alemanha (19,9%), depois a Espanha (13,6%) e a Inglaterra (10,5%). A Itália, que não passa por um bom momento, é classificada com apenas 1,5% de chances de levantar a taça.

No ranking elaborado pelo banco americano, sete seleções aparecem com menos de 1% de chances de ganhar o título, entre elas a Suécia (0,9%), de Ibrahimovic, e País de Gales (0,1%), de Gareth Bale. Um dado curioso: segundo a previsão do Goldman Sachs, a Albânia não tem chance alguma de ganhar o campeonato.

Embora França e Alemanha sejam apontadas pelo estudo como as duas principais favoritas, elas não farão a final da Eurocopa, de acordo com o banco. Isso porque a tabela do torneio, caso as duas seleções sejam líderes de seus grupos, impõe um confronto nas semifinais. A França, segundo a previsão, disputará (e vencerá) a decisão contra a Espanha.

COPA DO MUNDO

O Goldman Sachs fez exatamente a mesma simulação antes da Copa do Mundo do Brasil. Embora o banco se orgulhe de ter acertado três dos quatro semifinalistas (Brasil, Alemanha e Argentina), ele errou feio na previsão do campeão: o Brasil, que derrotaria a Argentina na final.

De maneira bem-humorada, o banco justifica o erro dizendo que a goleada de 7 a 1 dos alemães sobre a seleção brasileira foi a maior surpresa da história das Copas e que, portanto, seria impossível prevê-la.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook