Últimas

BGT: Cinco lições de Brasil vs Peru

Com erro de arbitragem, Seleção perde para o Peru e está fora da Copa América Centenário


GOALANÁLISES
 


A Seleção Brasileira até teve boa atuação no primeiro tempo, o técnico Dunga escalou o time no 4-2-3-1, formação que vinha ensaiando desde o amistoso contra o Panamá, em Denver. 

E apesar da ofensividade, o Brasil esbarrou no espaçamento entre seus jogadores e acabou derrotado pelo Peru, com um gol de mão válidado pela arbitragem, e foi eliminado da Copa América Centenário.

Abaixo, a Chevrolet Brasil Global Tour destaca os principais pontos da partida:

 


Sumiço de Coutinho

(Foto: Lucas Figueiredo/ MoWa Press)

Depois da vitória sobre o Haiti e a grande atuação de Philippe Coutinho todas as expectativas estavam voltadas para o meia. Mas desta vez o jogador não conseguiu ser protagonista. 

Errou muitos passes e invertidas de bola, não conseguiu finalizar e sumiu em alguns momentos do jogo. Quando o Brasil mais precisou, Coutinho não esteve bem e não conseguiu assumir a responsabilidade.

Gabigol quase se consagra

(Foto: Getty Images)

Aos poucos Gabriel foi conquistando seu espaço na Seleção, e após boas atuações entrando no segundo tempo, pela primeira vez o jovem atacante começou uma partida. 

E no primeiro tempo foi bem, levou periodo a zaga do Peru e finalizou em duas oportunidades. Na primeira recebeu a bola de costas e fez um giro rápido obrigando o goleiro adversário a fazer grande defesa. Na segunda recebeu e imediatamente colocou a bola na frente, chutou forte mas mais uma vez Gallese defendeu. No segundo tempo não teve nenhuma oportunidade e acabou saindo para a entrada de Hulk.

Ofensividade de Dunga não deu certo

(Foto: Getty Images)

Sem Casemiro, que estava suspenso, Dunga resolveu ousar. Escalou Lucas Lima no lugar do volante marcador e formou o meio-campo com Renato Augusto, Elias e o próprio camisa 10 com Willian e Coutinho caindo pelas pontas. 

O treinador também sacou Jonas e lançou Gabigol no ataque. Apesar do esquema corajoso, individualmente os jogadores foram muito abaixo do que podiam apresentar e tiveram dificuldades em se aproximar dentro de campo. Com isso, o Brasil criou pouco e acabou sendo derrotado pelo Peru.

Falha nas substituições

(Foto: Lucas Figueiredo/ MoWa Press)

 Seleção Brasileira foi bem no primeiro tempo, principalmente nos trinta minutos iniciais. Mas depois caiu de rendimento, mas o técnico Dunga fez apenas uma substituição, tirando Gabigol e colocando Hulk.

Em seguida, o time do Peru abriu o placar e ainda assim o comandante preferiu não mexer na equipe. Algumas peças como Paulo Henrique Ganso e Lucas Moura poderiam ter dado mais velocidade e criatividade ao Brasil e ajudado na busca pelo empate que garantiria a classificação.

A falha da arbitragem

(Foto: Getty Images)

Na hora do gol do Peru, a arbitragem se enrolou e durante seis minutos ficou sem saber o que fazer com a situação. Jogadores das duas seleções pressionando, num primeiro momento parecia que o gol não seria válidado e que o juíz estava consultando recursos externos.

Mesmo com os quatro árbitros dentro de campo o juíz optou por validar o gol. Em seguida, o telão do estádio mostrou que Ruidíaz realmente empurrou a bola com o braço.

 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook