Últimas

Britânicos fazem história na Eurocopa e na União Europeia

O Reino Unido decide seu futuro no bloco europeu, enquanto três países britânicos se preparam para as oitavas de final da Euro


GOAL Por Livia Muniz 


Esta não é uma quinta-feira normal para o Reino Unido. Hoje, dia 23 de junho de 2016, milhões de britânicos irão às urnas para decidir em um plebiscito se o país continua ou não na União Europeia. Um acontecimento histórico que poderá trazer consequências não só para britânicos, mas para o mundo inteiro. Efeitos da geopolítica.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Euro terá campeão inédito? | Os duelos das oitavas  | Crise e nacionalismo marcam a Euro


Mas como o destino também adora ironias, se o momento é conturbado na política do Reino Unido, no futebol tudo é festa: dos quatro países compõe o Estado, três foram à Eurocopa. E se já não bastasse esse feito histórico, Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte conseguiram se classificar para as oitavas de final, comandando uma verdadeira invasão britânica na eterna rival França.  

E são nesses episódios em que vemos como o ser humano pode se comportar de forma tão semelhante na política e no esporte. Se as cenas de violência protagonizada pelo ingleses em Marselha marcou o início da Euro, há exatamente uma semana, o assassinato da parlamentar Jo Cox pelas mãos de um nacionalista britânico também chocou o mundo. Referência no estudo dos hooligans, Eric Dunning sempre associou esse grupos à questões sócio-políticas. Assim, não é a toa que selvageria em Marselha se assemelha tanto à que matou Cox.

Na última pesquisa, divulgada na segunda-feira (20), os que querem manter o Reino Unido na União Europeia venciam por 44% contra 43% dos que pedem a saída. Uma margem apertada, não dá para apostar no lado vencedor, da mesmo forma que é difícil dizer quem vai mais longe na Eurocopa: País de Gales, Inglaterra ou Irlanda do Norte. Pelo menos uma seleção britânica já vai deixar de sorrir em breve, uma vez que o emparelhamento das oitavas colocou Gales e Irlanda do Norte frente a frente.  

É certo que pelo menos uma seleção britânica vai ficar pelo caminho – talvez duas se os ingleses não passarem pela Islândia – e também é certo que muitos britânicos irão ficar insatisfeitos com o resultado do referendo desta quinta. Mas o impacto maior disso tudo é ver galeses, ingleses e norte irlandeses escrevendo a história de diferentes maneiras em uma semana que, de uma forma ou de outra, vai marcar passado, presente e futuro do Reino Unido. 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook