Últimas

CEB deve avaliar hoje as causas do incêndio que provocou apagão na capital

T
Tcnicos teriam que esperar o resfriamento para religar a subestao. Foto: Carlos Moura/CB/D.A. Press

A explosão causada por uma sobrecarga de energia em uma subestação da Companhia Energética de Brasília (CEB) foi motivo de transtornos no centro da capital federal, por volta das 19h. A unidade, que distribui eletricidade à Esplanada dos Ministérios, ao metrô e ao Senado Federal, precisou ser desligada para que o Corpo de Bombeiros apagasse as chamas do local. Por isso, diversos pontos da região ficaram sem luz. Quem voltava para casa enfrentou problemas no transporte público — já prejudicado pela greve dos metroviários. No Senado, reunião da comissão que avalia o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff acabou suspensa.

O fogo na subestação da CEB — Brasília Centro já havia se alastrado quando a entrada do Corpo de Bombeiros foi liberada para combater as chamas. Como a situação envolvia eletricidade, os bombeiros tiveram que esperar a ação de técnicos da companhia para desligarem os equipamentos da unidade. Dessa maneira, em vez de água, a corporação usou uma espuma especial para controlar o incêndio. Um dos quartéis dos bombeiros é vizinho ao local atingido, localizado atrás da garagem do Senado.

Com o desligamento da subestação, a distribuição de energia ficou interrompida em diversos locais da cidade, além de causar desconforto em outros. A Procuradoria-Geral da República (PGR) ficou no escuro por 20 segundos. Tanto no Palácio do Planalto quanto no Senado Federal houve três apagões causados por picos de energia. O último, contudo, permaneceu na penumbra durante parte da noite. Até o fechamento desta edição, às 21h30, a Casa permanecia sem luz. A comissão de impeachment teve que suspender a reunião. Os dois geradores que abasteceriam o edifício estão com defeito.

A Esplanada dos Ministérios ficou no breu no início da noite. Algumas regiões do Sudoeste também passaram cerca de 15 minutos no escuro, segundo relatos de moradores. Um funcionário que trabalha na subestação atingida relatou à reportagem ter ouvido uma forte explosão no local antes do início do fogo.

Duas horas depois, os profissionais conseguiram controlar o incêndio. Ainda assim, o Corpo de Bombeiros permaneceu no local para monitoramento. A Polícia Militar e a Polícia Legislativa Federal acompanharam o combate ao incêndio. Segundo a Assessoria de Comunicação CEB, não se sabe exatamente o que causou a sobrecarga. A subestação só seria religada depois do total resfriamento, o que deveria ocorrer de madrugada. Hoje, a parte defeituosa — provavelmente o transformador — será avaliada e pode até haver a troca do equipamento. Só então, a empresa calculará os prejuízos.

O metrô ficou parcialmente parado durante 20 minutos. Segundo a Assessoria de Comunicação do serviço, três trens ficaram retidos na plataforma Estrada Parque por causa da falta de energia. A subestação queimada ontem abastece a parte central do serviço, que, por causa da greve dos metroviários, já estava funcionando em esquema reduzido. De acordo com a companhia, contudo, todos os serviços foram normalizados rapidamente e não houve tumulto.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook