Cuca completa 53 anos com "loucuras" a cada jogo e agrada a todos no Palmeiras

Técnico tem apostado em táticas diferentes e substituições impensáveis no Campeonato Brasileiro


GOAL Por Allan Brito 


O técnico Cuca completou 53 anos nesta terça-feira e tem motivos para comemorar. O Palmeiras tem feito um bom início de Campeonato Brasileiro e até agora seu trabalho tem sido muito admirado por jogadores, torcedores e o presidente Paulo Nobre. O que mais tem chamado atenção é que ele se acostumou a fazer mudanças e até “loucuras”, que funcionaram bem até agora.

As mudanças acontecem primeiramente nas escalações, que ele nunca repetiu até agora. Cuca muda não só os jogadores, mas também o esquema tático e a estratégia. Costuma adequar a formação do time ao adversário de cada jogo. Em uma das suas primeiras partidas, por exemplo, usou três zagueiros por causa das jogadas em diagonal do Rosario Central. Não deu tão certo, pois o time sofreu três gols, mas o elenco ainda estava se adaptando ao estilo de Cuca.

No Campeonato Brasileiro essa prática se tornou mais recorrente e mostrou que Cuca agora tem o time em suas mãos. O principal exemplo aconteceu no jogo contra o Grêmio, em que ele escalou o time só com um zagueiro de ofício, porque o Tricolor não atua com um centroavante de área. Thiago Santos teve que alternar entre zagueiro e volante, o que nem sempre deu certo. Mas o Palmeiras dominou a maior parte do jogo e venceu bem por 4 a 3. Além disso, Cuca ja escalou o time com e sem centroavante. Com e sem meia. Com e sem marcação individual. A impressão é que o Palmeiras pode aparecer para jogar de mil e uma maneiras diferentes.

Números do Palmeiras no Campeonato Brasileiro de 2016:

Chamam atenção também as substituições que Cuca faz durante os jogos, quase sempre improváveis e que parecem “loucuras” em um primeiro momento. Na partida contra o Flamengo, por exemplo, a partida estava empatada, fora de casa, e ele trocou o volante mais marcador da equipe, Matheus Sales, pelo atacante Luan. Funcionou, pois o Flamengo teve que se preocupar mais com a defesa, recuou e acabou sofrendo o gol decisivo. Em outras partidas ele já trocou volantes e laterais por meias e atacantes. São opções ofensivas que sempre fogem do lugar comum. E é isso que tem agradado tanto a torcida, essa visão sempre voltada ao ataque – tanto que o time tem o maior número de gols no Brasileirão até agora, 13 ao todo.

“O que mais tem me agradado no trabalho do Cuca é a sua obstinação por vitórias. Ele é obstinado mesmo”, elogiou o presidente Paulo Nobre, em entrevista ao Globoesporte.com. Já os jogadores gostam mais da parte tática. Fabrício, por exemplo, destacou que as mudanças de Cuca confundem os adversários e aproveitam o melhor de cada atleta: “é muito boa essa versatilidade que Cuca tem tirado dos jogadores. Isso é bom porque o treinador não precisa queimar mais substituições, pode mexer no time com os 11 que estão em campo”.

Para o clássico contra o Corinthians, no próximo domingo, Cuca já terá que fazer uma mudança obrigatória: Vitor Hugo está suspenso, então ele escolherá entre Edu Dracena ou Roger Carvalho. Mas é provável que o técnico pense em mais alterações específicas para segurar o líder do Campeonato Brasileiro. Uma vitória em um jogo tão importante seria o presente perfeito para o aniversariante da semana.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook