Últimas

Declarado foragido pela Operação Turbulência, empresário é encontrado morto em motel

O empresário Paulo César de Barros Morato, que estava sendo investigado pela Operação Turbulência, e foi declarado como foragido pela Polícia Federal nesta última terça (21) foi encontrado morto nesta quarta (22) num motel localizado na Avenida Perimetral, em Olinda. A delegada Gleide Ângelo e o delegado Jorge Ferreira estão no local e confirmaram a morte, mas ainda não revelaram se foi suicídio ou homicídio. Os motivos ainda são desconhecidos, mas esta é a primeira morte que ocorre em meio às operações da Lava-Jato e seus desdobramentos. Gleide Ângelo já antecipou que não daria entrevistas.

A Polícia Federal chegou a cogitar a possibilidade de incluir o nome do empresário Paulo César na lista dos procurados da Interpol. Segundo a PF, ele é suspeito de integrar uma organização criminosa que teria desviado R$ 600 milhões, envolvendo pelo menos 18 empresas que seriam de fachada e tinha beneficiários políticos de Pernambuco e do Nordeste. 

Paulo Morato é supostamente  dono da empresa “Câmara & Vasconcelos Locação e Terraplenagem LTDA”. Ele é apontado pelo Ministério Público como um dos que  aportou recursos na aquisição da aeronava Cesna, que transportava o ex-governador Eduardo Campos em 2014, falecido em 13 de agosto daquele ano, num acidente aéreo.

O grupo foi descoberto pela PF a partir das investigações que apuravam quem seria o dono do jato que transportava Eduardo Campos naquele ano. Segundo o assessor de imprensa da Polícia Federal, Giovani Santoro, existe um agente federal acompanhando as investigações para observar se a morte tem algo relacionado à Operação Turbulência. Por enquanto, de acordo com ele, o caso será tocado pela Polícia Civil. Deacordo com informações preliminares de seus advogados, o empresário já tinha tentado suicídio.

Veja mais informações em instantes


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook