Em grande fase, Ganso chega à Seleção para dar opções ao técnico Dunga

Após quatro anos distante da amarelinha, o camisa 10 tricolor está mais maduro e tem a oportunidade de se firmar no grupo

Depois de surgir como grande promessa em 2009 ainda com a camisa do Santos, Ganso passou por altos e baixos na carreira. De grande promessa a um jogador considerado lento e que não cabia mais no futebol moderno. De cotado para vestir a camisa de clubes do futebol europeu a banco no São Paulo. Lesões e recuperações demoradas também atrapalharam a carreira do jogador de 26 anos.

 

 

Mas tudo começou a mudar quando Edgardo Bauza assumiu o São Paulo, na ocasião o treinador chegou com algumas missões entre elas a de recuperar o bom futebol do meia e ajuda-ló no retorno à seleção Brasileira. 

 

Missão cumprida, depois do corte de Kaká, o técnico Dunga optou por convocar Ganso que já estava na lista dos 40 pré-convocados para a disputa da Copa América Centenário, nos Estados Unidos.

 

Mas muito além disso, o meia tem sido fundamental para a equipe Tricolor que está nas semifinais da Libertadores da América. 

 

Como um maestro, Ganso tem dominado as ações no meio-campo do São Paulo com passes precisos, viradas de bola e assistências. E agora, sob a batuta do Patón o camisa 10 também passa por uma fase artilheira, marcando gols importantes.

 

 

Paulo Henrique Ganso como ele mesmo gosta de dizer amadureceu, hoje é um jogador mais eficiente dentro de campo, entendeu a importância de arriscar um chute quando necessário e não ficar apenas limitado aos passes, também tem usado sua altura e porte físico como benefício.

 

Em 2016, Ganso já soma 7 gols, no melhor ano de sua carreira o meia do São Paulo anotou 13 tentos. Em assistências já são 5, em 2015, o camisa 10 chegou a marca de 14. 

 

Confira os números de Paulo Henrique Ganso:

 

 

 

O meia tricolor se junta à Seleção Brasileira na noite desta sexta-feira às 23h no horário da Califórnia, a apresentação do jogador estava marcada para o horário do treino proém um problema no voo atrasou a chegada do  meia.

 

Paulo Henrique Ganso tem a missão de mostrar ao técnico Dunga que pode ser uma arma importante na equipe, proporcionar ao comandante mudanças de esquema tático e a possibilidade de utilizar um meia clássico, como nos velhos tempos da amarelinha.

 

O Brasil está no Grupo B da CA100 e estreia neste sábado (04/06), às 23h  no horário de Brasília, contra o Equador, no Rose Bowl, na Califórnia


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *