Últimas

Ensaio para abertura da Rio-16 tem fones para dançarinos e sigilo absoluto

Danarinos requebram ao ritmo do “passinho” do funk carioca numa tenda. Em uma parede de escalada ao ar livre, bailarinos ensaiam movimentos precisos. Atletas de parkour (esporte urbano para ultrapassar obstculos) so orientados a dar saltos arriscados em meio a uma complexa coreografia em um palco imaginrio.

Com fones, cada integrante ouve a sua msica e as instrues dos coregrafos. Para quem observa, tudo acontece quase em silncio, quebrado pelo som dos carros e dos trens da vizinhana.

Como se montassem um enorme quebra-cabeas, centenas de artistas e voluntrios ensaiam diariamente, em sigilo, todos os detalhes da cerimnia de abertura dos Jogos Olmpicos do Rio, o espetculo mais miditico da competio.

A audincia prevista para o show de quase 1 bilho de espectadores pela televiso em mais de 150 pases. No Maracan, palco da cerimnia, estaro 46 mil pessoas, entre convidados e pagantes.

A Folha teve acesso aos bastidores do show e acompanhou na quinta (23) por trs horas e meia os ensaios.

O local escolhido para o treinamento uma antiga rea militar de 39 mil metros quadrados (o equivalente a 18 campos de futebol) com vista para o estdio, na zona norte do Rio.

“Isso aqui uma organizao militar tocada por artistas. Temos que tirar o melhor dos dois mundos para tudo dar certo no dia 5 de agosto [data da abertura da Olimpada]”, diz Leonardo Caetano, diretor de Cerimnias da Rio-2016.

Ele o responsvel por coordenar uma legio de quase 12 mil atores, danarinos e figurantes, alm de mil produtores de 30 nacionalidades, envolvidos no evento.

As atraes da festa so mantidas em segredo. Caetano Veloso, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes so alguns cotados para cantar no espetculo.

Concebida para durar quase quatro horas, a abertura dos Jogos dirigida por Fernando Meirelles, Andrucha Waddington e Daniela Thomas e pretende contar a formao da sociedade brasileira com o objetivo de mostrar que a imigrao positiva.

O roteiro uma sntese da cultura popular embalado pelo ritmo vigoroso da msica brasileira, com coreografias criadas por Deborah Colker.

O samba deve ocupar quase 20% da cerimnia. Ritmistas de baterias de escola de samba do Rio vo participar da festa.

Sem o mesmo luxo dos Jogos de Pequim-08 e de Londres-12, os diretores do evento pretendem surpreender o pblico com “as coreografias de massa” protagonizadas pelos voluntrios no gramado do Maracan.

Com seis cerimnias de Jogos Olmpicos na carreira, o norte-americano Steve Boyd o responsvel por replicar para todo o elenco do show as coreografias idealizadas por Colker.
A sustentabilidade um dos focos do espetculo.

“O forte da nossa cerimnia ser trabalhar com mais gente e menos coisas e objetos de cena. Porque, quando a festa termina, as coisas geram lixo”, explicou Leonardo Caetano

ISOLAMENTO

A “Broadway olmpica” funciona de 9h a cerca de 23h diariamente. Por l, a agitao constante desde maio.

Apesar do entra e sai desenfreado, o local fica numa regio quase deserta da cidade, espremido entre a estao de trem do Maracan e o morro da Mangueira.

Para manter o isolamento, os produtores fecharam o espao com cercas de mais de trs metros que impedem os olhares dos curiosos.

O horrio de pico o incio da noite, quando centenas de voluntrios chegam para o ensaio de suas coreografias. Na quinta, cerca de 800 participaram do treinamento.

Todos os envolvidos assinaram um acordo de confidencialidade, que prev multa pesada (valor no divulgado) em caso de quebra do contrato.

Na entrada, eles ganham as chaves dos seus armrios e o fone, que serve para ouvir os recados dos coregrafos. Em seguida, recebem lanches e os coletes de identificao.

Numa enorme tenda, os voluntrios assistem a uma palestra antes de seguir para uma imensa pista de asfalto. L, os produtores desenharam duas rplicas do gramado do Maracan.

Cheio de marcaes, a pista se transforma num palco, onde diferentes grupos ensaiam as suas coreografias.

“Os fones servem para no atrapalhar os outros grupos. Imagina cada tipo de msica sendo tocada para todos esses grupos ao mesmo tempo. Todos sairiam tontos daqui”, brincou Caetano.

“Fora isso, esses aparelhos nos do mais tempo para trabalhar de noite sem atrapalhar e chamar a ateno dos vizinhos”, acrescentou.

Experiente em cerimnias olmpicas, a italiana Sara Berutto diz que o segredo para o sucesso do evento “essa adio de trabalhos pequenos que no final faz o show”. “A solidariedade existe aqui. Precisamos da pessoa que entrega a chave dos armrios, do outro que coloca as cadeiras na sala de reunio. Se essas pessoas no so valorizadas, o show no sai no final”, disse a italiana de Turim, gerente de elenco de voluntrios.

ESPAO AREO FECHADO

O cuidado para no vazar os detalhes da festa tanto que os organizadores conseguiram autorizao da Anac para fechar o espao areo do Maracan num raio de um quilmetro.

H cerca de dois meses, helicpteros registravam as primeiras mudanas dentro do estdio. Um palco est sendo erguido l. O estdio est recebendo cenografia e luz especial.

“A nossa inteno surpreender o espectador. Queremos que o torcedor chegue l e encontre um Maracan completamente diferente”, contou Caetano, que tambm coordena a cerimnia de encerramento da Olimpada e as outras duas da Paraolimpada.

Neste ms, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), disse que precisa de R$ 250 milhes para bancar as quatro cerimnias. Pediu ajuda ao presidente interino Michel Temer.

SEM PROTESTO

Responsvel pela seleo do elenco, a coregrafa Renata Vieitas tem tambm a tarefa de controlar a emoo dos envolvidos no espetculo. ” um evento nico. Nem a emoo do Carnaval se compara. Mas fazemos um trabalho emocional bacana com as pessoas. Todos vo segurar bem”, disse a coregrafa, que j foi diretora de harmonia da Portela.

Em 2013, trs voluntrios protestaram durante a festa de encerramento da Copa das Confederaes. Eles levantaram faixas contra a privatizao do Maracan e o preconceito.

“No acredito que isso vai se repetir. Todos esto trabalhando h meses para esse evento. A pessoa pode at chegar com a vontade de protestar, mas ela se apaixona quando entra aqui dentro”, afirmou.

A 38 dias para a abertura dos Jogos, os ensaios vo se intensificar a partir de agora. Mesmo assim, o elenco completo s vai se encontrar duas vezes antes da cerimnia. Em agosto, eles faro dois ensaios gerais no Maracan.

“A sincronia fundamental num evento to grandioso. Todos esto treinando muito. Isso deixa os envolvidos seguros dos seus movimentos na festa. Queremos que todos cheguem l para se divertir. No ser a cerimnia mais cara da histria, mas ser a mais emocionante de todas”, disse o diretor das festas.

O BELO DE JARDINPOLIS

O danarino Rogrio Conga, 37, virou celebridade na pequena Jardinpolis (SP) ao ser escolhido para integrar o elenco da cerimnia de abertura. Ele ganhou at patrocnio de uma agncia de viagens da cidade para ajudar a realizar o seu sonho: danar no Maracan lotado.

“Estou nervoso por ser uma experincia inacreditvel. O corao j bate mais forte nos ensaios. Fico imaginando como vai ser no dia da cerimnia”, disse Conga, conhecido no municpio como Belo por causa de sua semelhana com o pagodeiro.

At agora, a agncia j bancou seis passagens areas para o danarino ensaiar no Rio. No prximo ms, ele ficar em definitivo na capital fluminense at o final dos Jogos e j alugou uma quitinete em Copacabana para descansar. At l, o voluntrio ter feito 15 sesses de ensaio.

Na cidade distante 329 km de So Paulo, ele j deu entrevistas para rdios locais e ganhou trs minutos e meio em um telejornal de uma afiliada da TV Globo na regio.

“O municpio todo est feliz. Quero representar cada um dos moradores no Maracan. A Olimpada tambm de Jardinpolis”, disse o danarino, que j foi candidato a vereador em 2008. Com 74 votos, ele no conseguiu se eleger.

O gerente Maicon Lopes, 30, “largou tudo” em Braslia para participar da cerimnia. Ele fez um acordo com a sua chefe, que tambm tem negcios no Rio, e conseguiu transferncia para a cidade at o final da Olimpada.

“Onde vou ter a oportunidade de danar para uma plateia dessa outra vez? Quando recebi o recado que fui aprovado, larguei tudo e estou aqui feliz”, contou Lopes.

Gerente de elenco, a italiana Sara Berrutto diz que os voluntrios so os responsveis pela “emoo nica” da festa.

“Sem eles, no poderamos fazer esse espetculo. Se as pessoas querem um profissional, elas precisam ir a Broadway. Aqui as pessoas tm histria. Tm paixo pelo pas e pela cidade. Por isso, um espetculo completamente diferente”, afirmou a italiana.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook