Últimas

Fracassos na base farão seleção feminina de basquete ir para Jogos com veteranas

O tcnico da seleo feminina de basquete, Antnio Carlos Barbosa, se diz um “treinador de renovao”. Gosta de mesclar novos talentos com experincia.

No entanto, essa filosofia foi deixada de lado ( fora) na pr-convocao para a Olimpada do Rio, em agosto.

Na lista de 18 jogadoras, divulgada nesta tera-feira (31), dez esto acima dos 30 anos. Apenas cinco esto abaixo dos 25. A mdia de idade de 29,9 anos.

A convocao de Barbosa reflete o mau momento que a base do basquete feminino do Brasil vive.

Desde que a seleo profissional conquistou a sua ltima medalha em uma Olimpada, a de bronze, em Sydney, na Austrlia, em 2000, o pas conseguiu subir ao pdio em apenas dois Mundiais de base.

Na primeira ocasio, em 2003, no sub-21, ficou com a prata, na Crocia. Na segunda, em 2011, no sub-19, ganhou o bronze, no Chile.

“A reformulao do time deveria ter sido feita ano a ano. Nesse ciclo, no tivemos resultados que dessem credibilidade. Na Olimpada no se pode manter um grupo que vem de resultados que no so convincentes”, disse Barbosa nesta tera-feira, em So Paulo.

Antes, em entrevista Folha no incio de maio, o treinador j havia falado sobre os atuais problemas do basquete feminino e da base.

“Ns entramos num processo de diminuio de equipes e houve uma queda no trabalho de base, porque se voc no consegue bons resultados, a mdia se afasta, assim como os patrocinadores. Dessa forma, sem aporte financeiro para fazer uma estrutura legal de base, voc fica com um nmero menor de opes para convocar. um problema srio”, afirmou.

Barbosa est na seleo desde dezembro de 2015. Ele foi contratado para substituir Luiz Augusto Zanon, que pediu demisso.

Hoje, o Brasil no tem uma liga nacional de base no basquete feminino. H apenas torneios de selees de Estados e campeonatos estaduais. No profissional, a liga nacional tem apenas seis equipes.

Vanderlei Mazzuchini, diretor tcnico da CBB (Confederao Brasileira de Basquete), ressalta que essa diminuio de equipes e a falta de apoio interferem diretamente no desenvolvimento da base, assim como os problemas financeiros da entidade que administra a modalidade no pas.

“O formato do esporte no Brasil est em clube. E com toda a situao que os clubes esto passando, fica difcil. A CBB tambm tem passado por dificuldades financeiras que todos conhecem, e isso tambm complica”, afirmou.

Mazzuchini cita ainda que a ltima medalha conquistada pela base da seleo feminina, em 2011, s foi possvel porque se tratava de uma seleo permanente, que tinha o apoio do Ministrio do Esporte.

Na ocasio, as jogadoras de at 19 anos treinaram juntas de janeiro a agosto.

Em 2016, por exemplo, a seleo sub-17 que vai disputar o Mundial da categoria em Zaragoza, na Espanha, de 22 de junho a 2 de julho, ter pouco mais de 20 dias de preparao para o torneio.

“Essa seleo permanente foi muito cara. E foi a nica vez que fizemos isso. Ns conseguimos o bronze e depois nunca mais chegamos. Sem esse time permanente, voc tem uma preparao menor e menos jogos internacionais. Fica difcil”, afirmou.

A piv Damiris, 23, que est na lista de pr-convocadas para a Rio-2016, se destacou no campeonato de 2011. Foi considerada a melhor jogadora pela organizao. Ela terminou o torneio como cestinha, com mdia de 20,9 pontos por jogo.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *