Últimas

Jamaicano é pego em reanálise de exame antidoping, e Brasil pode herdar bronze

Membro do revezamento campeo olmpico do revezamento 4 x 100 m nos Jogos Olmpicos de Pequim-2008, ao lado de Usain Bolt, o velocista jamaicano Nesta Carter testou positivo em nova anlise das amostras colhidas na poca, relatou o jornal jamaicano “The Gleaner” nesta sexta-feira (3).

Assim, a equipe da Jamaica pode perder a medalha olmpica. Trinidad e Tobago, desta forma, herdaria o ouro e o Japo, a prata.

O Brasil, quarto colocado naquela prova com Vicente Lenilson, Sandro Viana, Bruno Barros e Jos Carlos Moreira, o Cod, ficaria ento com o bronze.

Grigory Dukor/Reuters
Da esq. para a dir., o americano Justin Gatlin, e os jamaicanos Usain Bolt e Nesta Carter, no p
Da esq. para a dir., o americano Justin Gatlin, e os jamaicanos Usain Bolt e Nesta Carter, no pdio dos 100 m do Mundial de 2013, em Moscou

Foi identificada a presena de um estimulante, a metilhexanamina na reanlise pedida pelo Comit Olmpico Internacional (COI) em 454 amostras de atletas de diversas nacionalidades.

Carter era o primeiro atleta do revezamento na final de 2008. Ele tambm fez parte dos revezamentos campees mundiais em 2011, 2013 e 2015, alm de conquistar o bi olmpico na mesma modalidade, em Londres-2012.

Em Pequim, a equipe que tambm contava com Michael Frater, Usain Bolt e Asafa Powell. Eles tinham estabelecido o recorde mundial, em 37s10, j superado.

Carter, de 30 anos, ainda no competiu nesta temporada por causa de uma leso.

A agncia Reuters informou que o estimulante foi encontrado na amostra A de Carter e que o atleta pode sofrer punies somente se a amostra B tambm der positiva para a substncia. Assim, o velocista ser suspenso.

Bolt corre risco de perder uma das suas seis medalhas de ouro olmpicas. O astro sonha em conquistar o indito triplo tricampeonato no Rio, mas o doping de Carter deixa uma mancha na conquista jamaicana.

Nas ltimas semanas, o COI (Comit Olmpico Internacional) revelou 55 novos casos de doping com as reanlises de amostras dos Jogos de 2008 (32) e 2012 (23).

Os casos de Pequim dizem respeito a atletas de 12 pases e seis modalidades. Dos 32 atletas flagrados, 14 so russos.

Nesta sexta-feira, o presidente do COI, Thomas Bach, reiterou que pretende “pegar o mximo de dopados possveis para proteger os atletas limpos”.

“Reforamos o nosso programa, tomando medidas decisivas e no hesitaremos sancionar os envolvidos”, afirmou o dirigente, ao final da reunio de trs dias da comisso executiva do COI, na sua sede de Lausanne, na Sua.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *