Últimas

Ninho do Urubu: Zé Ricardo efetivado é a última chance da diretoria do Flamengo

“Com apenas três e jogos e quatro dias de treinos em campo, Zé conseguiu montar um time mais equilibrado e que tivesse uma organização que não acontecia há pelo menos dois anos”.



GOAL Por Bruno Guedes


Sabemos que planejamento é algo que inexiste quando se trata de Bandeira de Mello, mas a saída do Muricy Ramalho deu chance à gestão de fazer o que ela nunca fez nesses quatro anos: de fato se planejar de médio a longo prazo. Só que para isso acontecer precisa de uma coisa fundamental para a realização de um projeto sério, a efetivação do técnico Zé Ricardo.

Cobrar organização e palavra ao presidente do Flamengo é difícil, tanto que disse que não iria para os EUA chefiar a Seleção, mas mesmo assim viajou, sem alarde ou holofotes. Só que agora ele tem a grande chance de reparar o seu maior erro, que é abandonar o futebol nas mãos de quem não entende ou apenas visa lucro eleitoral, seja interno, seja externo. Efetivar o Zé Ricardo é, além de pensar com a cabeça e não com os lobbystas, um acerto que ajudaria na reformulação gradual do elenco, aliada a uma equipe moderna e organizada.

Com apenas três e jogos e quatro dias de treinos em campo, Zé conseguiu montar um time mais equilibrado e que tivesse uma organização que não acontecia há pelo menos dois anos. O 4-1-4-1 na recomposição defensiva já é um exemplo. Isso tudo mesmo que os problemas de planejamento estejam gritando agora, como a falta de zagueiros no elenco. Ou então o excesso de atacantes “sem cara de Flamengo” e que mais atrapalham que ajudam, como Fernandinho e Marcelo Cirino. Dar tempo ao jovem treinador é a última chance que o Bandeira de Mello tem para mostrar força e que pensa no clube, não nos dirigentes.


É hora de o presidente agir (Foto: Camila Ururahy e Thiago Sinionato/Flamengo/Divulgação)

Joel Santana, Ney Franco, Mano Menezes, Luxemburgo, Oswaldo de Oliveira… a lista de nomes “de peso” (e trabalhos questionáveis há anos) já é imensa. Agora com Muricy, aumentou ainda mais. Só que não parecendo suficiente, o Flamengo quer aumentá-la com Abel Braga. Será que é tão difícil enxergar o futebol atual como algo que é totalmente diferente do que era praticado há 10 anos? A diretoria Rubro-Negra está tão desatualizada quanto os “medalhões” que contrata para ser “escudo”.

É tão difícil perceber que a cada nome consagrado (mas desatualizado) que chega e fracassa, vira um tiro no peito da diretoria e a gestão que tenta consertar erros do passado? É tão difícil perceber que há nomes sem o peso desnecessário para esses momentos, mas trabalho eficiente, atualizado com o praticado no mundo e que tire o melhor de cada jogador? Por que errar de novo

Bandeira de Mello, seja voz ativa ao menos uma vez, a solução está em casa: Efetiva o Zé Ricardo!

Bruno Guedes é músico, apaixonado por futebol e beisebol. Brasiliense por certidão e carioca de coração, acredita no futebol brasileiro e tem Romário como o maior jogador que viu dentro das quatro linhas.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook