Ora Bolas: Tite se reuniu com a CBF com a certeza de 'não dar certeza'

O final do primeiro encontro sem um anúncio, acredite se quiser, não indica absolutamente nada



GOAL Por Bruno Andrade


Nem “sim”, nem “não”. Tite não pensou duas vezes em aceitar o convite para conversar com Marco Polo Del Nero, mas viajou ao Rio de Janeiro determinado a deixar a reunião sem uma resposta final. A tentadora proposta para comandar a seleção brasileira mexeu com o treinador, mas a decisão será tomada em “conjunto”. Familiares, auxiliares, dirigentes do Corinthians e, claro, cúpula da CBF participarão do veredito.

Plano A, B e Z da desesperada CBF, Tite está com a faca e o queijo na mão. Ele fez questão de ficar frente a frente com presidente da entidade.máxima do futebol brasileiro. No encontro com Del Nero, que serviu como uma espécie de “termômetro”, o comandante corintiano ouviu promessas, planos e elogios, desabafou e, como esperado, ditou o ritmo da negociação. 

Tite, aceitando ou não o cargo deixado por Dunga, bateu na tecla que a seleção olímpica deve ser comandada por Rogério Micale – a lista de 35 jogadores pré-convocados para os Jogos do Rio será enviada ao COI (Comitê Olímpico Internacional) nesta quarta-feira – e exigiu autonomia.

Apesar de ter durado quase três horas, o bate-papo não envolveu discussão de valores. Isso, no entanto, já era esperado. O treinador, além de tratar o capítulo como exclusivo do empresário Gilmar Veloz, precisa se sentir seguro antes de dar um passo tão importante. Ele ainda não está seguro (talvez “à vontade” seja o termo mais correto).

O final da primeira reunião sem um anúncio, acredite se quiser, não indica absolutamente nada. Por enquanto, ninguém tem condições de cravar o que será decidido. Nem a CBF, nem o próprio treinador.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook