Outdoor com foto de Adriana Lima de biquíni é alvo de críticas na Alemanha

Outdoor com a top Adriana Lima causa polêmica na Alemanha (Foto: Reprodução / Süddeutsche Zeitung)Outdoor com a top Adriana Lima causa polêmica na Alemanha (Foto: Reprodução / Süddeutsche Zeitung)

Um outdoor com a brasileira Adriana Lima de biquíni vem sendo alvo de duras críticas na Alemanha. A Polêmica começou quando o enorme cartaz – de 114 metros quadrados – foi instalado em frente a um prédio em obras na praça Marienplatz, badalado ponto turístico de Munique, na última terça-feira, 7.

Segundo o jornal Süddeutsche Zeitung turistas têm parado para tirar selfies em frente ao outdoor de Adriana – top baiana de 34 anos que integra o time de ‘angels’ da grife Victoria’s Secret – mas moradores, guias turísticos e o conselho municipal de equiparação entre os sexos registraram queixas contra a peça que, segundo eles, retrata a  brasileira “seminua”.

Adriana Lima desfila em Nova York, nos Estados Unidos (Foto: Dimitrios Kambouris/ Getty Images/ AFP)Adriana Lima em desfile em Nova York
(Foto: Dimitrios Kambouris/ Getty Images/ AFP)

De acordo com a publicação alemã, o anúncio – da marca italiana de lingerie e moda praia italiana Calzedonia – já foi classificado como “machista” e “monstruoso”. Ao jornal, a prefeita de Munique, Christine Strobl, questiona a propaganda – que fica localizada bem diante da janela de seu gabinete: “Já vi publicidades mais antifeministas, mas comercial de biquíni num local símbolo da cidade não é bom”.

Para Franz Kotteder, do Süddeutsche Zeitung, o maior problema é o tamanho do cartaz, considerado gigantesco, e seu reflexo na imagem da cidade. “Quem atravessa agora a Marienplatz é remetido aos velhos filmes japoneses de Godzilla”, diz o comentarista, antes de completar: “Ao contrário do réptil gigante, a supermodelo não causa destruições reais, mas para o visual da praça ela é devastadora”.

A deputada Lydia Dietrich, do Partido Verde, também criticou o tamanho, a localização e a mensagem do outdoor: “Ele ensina às meninas: vocês devem ser o mais magras possível, quase anoréxicas.”

O jornal afirma, no entanto, que a empresa responsável pela peça publicitária o seguiu todas as regras, que incluem não divulgar partidos políticos, pornografia ou imagens violentas. E o tamanho também estaria dentro do que foi autorizado. Mesmo assim, segundo o jornal, o conselho de equiparação entre os sexos pretende mandar uma carta à empresa.

A discussão sobre o anúncio acontece em meio a um atual debate sobre publicidade sexista na Alemanha. O ministro da Justiça da Alemanha, Heiko Maas, propôs uma lei que a visa a proibir anúncios que retratem homens e mulheres como objetos sexuais.


Fonte: Ego.globo.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook