Últimas

Paes defende Jogos e diz que Estado 'faz milagre' no metrô

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), afirmou nesta tera-feira (21) que a crise financeira do Estado no tem relao com a Olimpada. Ele inclusive defendeu o desempenho do governo na construo da linha 4 do metr, sob risco de no ficar pronta para os Jogos.

Paes convocou uma coletiva de imprensa para defender a realizao da Olimpada na cidadepela quarta vez desde que o Estado decretou calamidade pblica em sua administrao financeira. Seu principal alvo era melhorar da imagem dos Jogos do Rio no exterior.

Ele afirmou que a situao financeira do municpio confortvel, mesmo sendo responsvel pela execuo de 93% das arenas.

Paes citou como exemplo a relao entre o estoque da dvida do municpio e despesa corrente lquida, atualmente em 30%, contra 79% em 2008. O limite prudencial, segundo a Leibde Responsabilidade Fiscal, de 120% –o Estado est em 191%.

“A Prefeitura quem banca a maior parte da Olimpada. Se fosse para algum estar quebrado por causa dos Jogos era o municpio, no o Estado. A crise do Estado no por causa dos Jogos”, disse Paes, que citou o percentual de 57% de recursos privados no custo da Olimpada, atualmente em R$ 39 bilhes.

Li Ming/Xinhua
Obras na linha 4 do metr
Obras na linha 4 do metr

A obra da linha 4 do metr, prometida ao COI (Comit Olmpico Internacional) e de responsabilidade do Estado, vai consumir R$ 9,7 bilhes e representa cerca de 19% do estoque da dvida do governo do Rio.

Paes disse que a crise financeira estadual dura mais de um ano, mas no se alongou no debate sobre suas razes.

Ele elogiou o desempenho do Estado na construo da linha que vai ligar a Barra zona sul –essencial para o fluxo dos torcedores para o Parque Olmpico.

“O Estado est fazendo em cinco, seis anos o que no fez em toda a histria do metr. Conseguiu construir 16 quilmetros numa regio muito complicada. O Estado conseguiu um milagre”, disse Paes.

A concluso do trecho olmpico depende ainda de um aporte mnimo de R$ 498 milhes. Ele far parte da ajuda federal ao Estado para a Olimpada

O objetivo principal do prefeito foi melhorar a imagem internacional. Um dos alvos de Paes foi o economista norte-americano Andrew Zimbalist, que em entrevista Folha afirmou ser impossvel organizar os Jogos sem comprometer o oramento pblico.

“O que a gente espera de um especialista que se especialize e conhea os nmeros”, afirmou Paes.


Fonte: Folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook