Perícia aponta que Dilma liberou créditos, mas não agiu em pedaladas

Uma perícia elaborada por técnicos do Senado, a pedido da defesa de Dilma Rousseff, apontou que houve irregularidades na edição de decretos de créditos suplementares sem autorização do Congresso e nas chamadas “pedaladas fiscais”, ambas cometidas no governo da presidente afastada. Ainda segundo a perícia, há provas de que Dilma agiu na edição dos decretos. No entanto, segundo o laudo, não foi identificada uma ação direta da presidente afastada no atraso nos pagamentos da União para bancos públicos que configuraram as “pedaladas”. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.   

O documento foi assinado por três técnicos do Senado e entregue nesta segunda-feira à Comissão do Impeachment. De acordo com o laudo, com 233 páginas, três dos quatro decretos de crédito são “incompatíveis” com a meta fiscal do ano passado. Ao todo, os peritos tiveram que esclarecer 99 questões feitas pela defesa, acusação e relator do processo, o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG).

A análise foi realizada em cima de laudos do Tribunal de Contas da União (TCU), que embasam o pedido de impeachment. Num primeiro momento, a comissão de impeachment negou a solicitação da defesa para que os técnicos analisassem os documentos. Depois, atendendo a recurso dos advogados de Dilma, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou que a perícia fosse realizada.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook