Últimas

Rodrigo Calvozzo: Cada um com a sua ambição

Enquanto alguns pensam em reforçar seus times visando títulos e novos torcedores, outros dirigentes mostram que se dão por satisfeitos com o meio da tabela


GOAL Por Rodrigo Calvozzo 


Passado todo o alvoroço que foi a repentina transferência do atacante Fred para o Atlético-MG, muitas opiniões foram despejadas nas redes sociais e veículos de comunicação. Muitos torcedores do Fluminense decepcionados com a mudança de lado do jogador, outros nem tanto. Por parte dos atleticanos a maioria demonstra uma súbita alteração de humor ao falar do jogador, que até muito pouco tempo era chamado de cone por eles mesmos. Ainda assim, algumas vozes mais desconfiadas ainda criticam o alto investimento em um atleta com histórico de lesões e que em tese já está em sua fase final da carreira profissional.


Diferente do Flu, o Galo mostra que pensa em títulos (Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG/ Divulgação)

Opiniões divergentes à parte, o fato é que a contratação pode sim ser considerada a principal aquisição de um clube brasileiro em 2016. Fred pode não ser o mesmo de 2012, quando foi o principal responsável pelo título brasileiro daquela temporada com a camisa tricolor, mas é sem sombra de dúvida um dos melhores centroavantes do país.

Porém, mais do que levar para a Cidade do Galo um atleta diferenciado, e que certamente pesará a favor do time mineiro, a postura de Nepomuceno, presidente do Atlético-MG, foi a oposta de Siensem, cartola tricolor. Isso mostra bem o que cada clube almeja neste ano e separa os times que realmente pensam grande, dos “meninos”. Sim, o Fluminense se apequenou, mostrou neste fato que pensa apenas em participar do campeonato e se terminar por ali, na oitava posição, tudo bem, já estará satisfeito.

Ao se livrar do camisa nove, o dirigente carioca não escondeu sua alegria, mesmo que tenha negado o fato em entrevista coletiva. O importante na sua mentalidade pequena é conseguir acertar pelo menos uma das diversas apostas que faz agora, para que no próximo ano o balanço financeiro da instituição permaneça oficialmente empatado, graças a uma possível venda de jogador para o exterior.  Time, títulos? Isso que se dane, fica para depois, afinal ele já tem algumas conquistas para dizer que foi sob a sua direção.

Não sou louco de dizer que saneamento financeiro do clube não é algo importante, é óbvio que sim. Mas ao ouvir deste mesmo dirigente que o valor pago pelo principal jogador da história do clube será reinvestido em contratações só me faz questionar que tipo de atletas serão esses que virão? Que gestão é essa que abre mão de um ídolo e enche o elenco de garotos? Talento muitos deles até possuem, mas ao serem lançados aos leões dessa forma só irá fazer com que um ou outro se salve e com isso renda uma razoável quantia financeira quando os mesmos deixarem o clube. Vale lembrar também, que foi essa mesma diretoria que contratou o zagueiro Henrique por nove milhões e agora vendeu Fred por cinco! Ou seja, preocupação com as contas não é a prioridade muito nem menos ter uma gestão que pense na construção de uma base sólida para o futuro do clube.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Com um a menos, Grêmio segura o Fluminense | Fred abandona seus “filhos” tricolores | Saída de Fred causou tristeza nas Laranjeiras?


O Presidente do Galo admitiu em entrevistas que a oportunidade surgiu graças a bom relacionamento que mantém com a direção carioca. Ou seja, a oportunidade lhe foi jogada no colo e como não age com a mesma pequenez tricolor, partiu com tudo para a chance de ouro. Como não poderia ser diferente, diante das posturas antagônicas, concretizou essa baita negociação.

Time grande age assim. Sabendo que provavelmente perderá uma de suas referências, o argentino Lucas Pratto, vai atrás de outro do mesmo porte, afinal de contas com títulos e ídolos, a receita aparece, novos torcedores são conquistados e a máquina anda.


Sem Fred, o Fluminense prefere apostar em Maranhão (Foto: Nelson Perez / Fluminense FC/ Divulgação)

Sempre apostei no profissionalismo no futebol, mas se tratando de futebol, onde a paixão é a principal fonte alimentadora do espetáculo, não é possível abandonar 100% o aspecto torcedor. Nesse caso os mineiros deram um show contra a mediocridade dos cariocas, que ultimamente andam satisfeitos em apenas em não serem rebaixados e não serem eliminados na semifinal do campeonato estadual. Neste sábado, em Volta Redonda, tivemos 2.467 pagamentes para ver Fluminense x Grêmio, que é um dos líderes do Brasileirão. Alguém duvida que em Belo Horizonte o clima será antagônico, muito em razão da estreia do novo reforço alvinegro?

Para crescer é preciso ter coragem. O futebol do Rio parou no tempo e com essa mentalidade pequena, exemplificada tão bem pela postura da “cartolagem” tricolor neste acontecimento, mostra que é preciso que cheguem novos líderes, com projetos sérios, profissionais, mas que também não se esqueçam que estão gerenciando clubes de FUTEBOL!

 

 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook