Últimas

Roque de Brito: Psicopata e não terrorista

1 – Interpretamos mais como ação de um psicopata e não de um terrorista o massacre ocorrido em Orlando, nos Estados Unidos praticado por Omar Mateen em uma boate para o público LGBT, sendo mais um exemplo de assassino em série (“Serial Killer”) que por razões ainda cientificamente desconhecidas ocorrem mais (cerca de 85%) naquele país que em outras nações.

2 – Em verdade Omar Mateen não foi predominantemente um terrorista pois não buscou através da violência homicida atentar contra as instituições norte-americanas, contra o sistema político, jurídico e social,  demonstrar o seu inconformismo a tal respeito, agir com a finalidade de causar pânico, terror na sociedade como características principais do terrorismo, não teve uma motivação política sob qualquer aspecto, de estrema direita ou esquerda pois predominantemente a sua conduta criminosa foi a manifestação de sua “personalidade instável, agressiva” (declaração de seu genitor  e de sua ex-esposa). Mais uma conduta violenta de um psicopata do que de um terrorista.

3 – Inicialmente foi destacada a motivação homofóbica porém ultimamente informou-se  que frequentava a boate para gays, que tinha telefonado manifestando lealdade ao Estado Islâmico porém o FBI informou que não havia prova de ligações concretas com o mesmo. Destacamos principalmente a sua conduta criminosa que é bem típica, bem característica do crime da personalidade psicopática que é perigosamente dissimuladora, que não desperta desconfianças e que age criminosamente quando menos se espera, como uma sua característica fundamental. Sem  motivação política comprovada e sem  finalidade política, não há como conceitualmente considerar Omar Mateen como um terrorista.

4 – Ao contrário do que a opinião pública pensa ou julga o psicopata (atualmente denominado “sociopata” pela psiquiatria atual) não é louco, não é um doente mental pois este é o “psicótico” – portador de psicose – também na lição da moderna psiquiatria.

Em verdade, o psicopata apresenta essencialmente um distúrbio de saúde mental e não uma alienação mental, especialmente com distúrbios de caráter, de temperamento, com desajustamento social, com inteligência e vontades normais, entendendo  muito bem o que faz e tendo vontade ou determinação a isso. São desajustados psíquica e socialmente porém não são doentes mentais.

Por seu desvio ou perturbações de caráter, de temperamento, de personalidade, os psicopatas são emocionalmente frios, procuram impor a sua ideia ou vontade aos outros no difícil relacionamento no convívio social, são instáveis, não têm nenhum sentimento de remorso ou de culpa pelo que fazem, eticamente imaturos e com o controle devido na sua atividade criminosa como se comprova pelas declarações de sobreviventes do massacre que dizem  que mesmo com as vítimas caídas no solo ainda atirava nelas para que ficasse ciente de que estavam realmente mortas. Psicopata é essencialmente uma personalidade antissocial, egoísta e não uma personalidade ou doente mental.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook