Últimas

Rússia proíbe evangelização para “conter terrorismo”


29/06/2016 – 22:00


Temas religiosas só poderão ser tratados dentro dos templos As leis que restringem a liberdade religiosa na Rússia já impediram…




Rússia proíbe evangelização para “conter terrorismo”
Rússia proíbe evangelização para “conter terrorismo”

Temas religiosas só poderão ser tratados dentro dos templos

As leis que restringem a liberdade religiosa na Rússia já impediram que a seita da Cientologia chegasse ao país. O Ministério da Justiça ordenou no ano passado a dissolução da organização, que contava com 10 mil fieis no país.

Agora, uma decisão tomada nos principais órgãos legislativos russos, a Duma e o Conselho da Federação, mostra-se favorável a coibir também a evangelização cristã. Segundo a revista Christanity Today, novas leis proíbem toda forma de proselitismo fora dos templos, incluindo pregação e distribuição de literatura. Isso afetará o trabalho missionário, bem como atividades evangelísticas ao ar livre. Nem mesmo reuniões em residências para esse fim ou divulgação online de qualquer grupo religioso são permitidas. As multas previstas são equivalentes a 2.500 reais para um indivíduo e até 50.000 para uma organização. Caso a infração seja cometido por um estrangeiro, ele será deportado.

As medidas são consideradas as mais restritivas na história pós-soviética da Rússia. Proposta pela deputada Irina Yarovaya, do partido Rússia Unida, acredita-se que a iniciativa foi da Igreja Ortodoxa, a religião oficial da nação. Com o nome oficial de “leis de vigilância e antiterrorismo” elas visariam a restrição ao crescimento do islamismo, mas se estendem a todas as outras crenças.

De acordo com Frank Goble, especialista em questões religiosas e étnicas na região, a identidade nacional russa vem sendo promovida por Vladimir Putin desde o início do seu governo. Agora, somente um veto do presidente mudaria as decisões do legislativo, o que parece improvável.

Para o pastor Sergey Rakhuba, presidente da Missão Eurásia, o anúncio gerou preocupação nas sete denominações autorizadas a funcionar no país. Os evangélicos russos são menos de um por cento da população. Eles estão convidando a comunidade cristã mundial a orar para que Deus “pode intervir milagrosamente neste processo”. Caso isso não aconteça, Rakhuba diz que eles estão preparados: “Mesmo se a lei passar, não nos impedirão de adorar e compartilhar nossa fé. A Grande Comissão não vale apenas para os tempos em que há liberdade.”

A associação de Igrejas Protestantes da Rússia divulgou uma carta aberta onde reclama da violação da liberdade religiosa e de consciência pessoal que a Rússia desfruta desde o fim do regime comunista. Na década de 1920, no governo de Stalin, foi implantada a proibição de todas as atividades religiosas fora das “igrejas registradas” e a proibição de os pais ensinarem sobre a fé aos seus filhos.

David Aikaman, professor de história e especialista em religião, afirmou à Christianity Today: “Não acho que podemos subestimar o desejo do governo russo de exercer controle total. Se a história serve como base, essas propostas revelam que o padrão de totalitarismo estão de volta ao país”.

De fato, desde 2012 está vigente na Rússia a lei “agente estrangeiro”, que oferece total controle ao governo sobre a atuação de qualquer liderança religiosa vinda do exterior. Os missionários estrangeiros têm dificuldades para a obtenção de vistos. Quando conseguem, precisam enfrentar uma complexa burocracia e estão sujeito a auditorias e restrições de suas atividades. Desde então, a presença de ONGs religiosas encolheu em um terço, de acordo com estatísticas oficiais.

Enquanto os evangélicos da Rússia rezar para que os regulamentos propostos são alterados ou vetado, eles têm ido no subsolo antes, e eles vão estar dispostos a fazê-lo novamente, disse Rakhuba.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook