Sem renovação e com pouco dinheiro, Barcelona se prepara com "baixo custo"

O dinheiro que o clube pretende investir no mercado de contratações não parece suficiente para ter jogadores como Marquinhos

Em 25 de novembro de 2012, o Barcelona de Tito Vilanova jogou por alguns minutos com onze atletas formados nas categorias de base do clube. Foi contra o Levante e teve um grande valor. Era uma época na qual os catalães se orgulhavam e pensavam “quanto custariam esses jogadores se tivessem sido encontrados no mercado?”.

Naquela tarde jogaram Victor valdés, Montoya, Piqué, Puyol, Jordi Alba, Busquets, Xavi, Fàbregas, Iniesta, Lionel Messi e Pedro Rodríguez. Claro que formar o melhor jogador do mundo fez toda diferença, afinal foi com ele que o clube conseguiu manter todos esses atletas da casa. E para o argentino foi preciso pagar “apenas” os altos salários.


Sergi Roberto virou uma exceção no Barcelona (Foto: Getty Images)

No entanto, depois de todos esses jogadores, apenas Sergi Roberto conseguiu sair da base e ir para o profissional para mostrar um futebol que era típico do clube, mas hoje parece estar no passado. Xavi e Puyol não estão mais. Iniesta tem 32 anos. Messi se aposentará mais cedo ou mais tarde. Como lidar com o rejuvenescimento inevitável da equipe sem perder a competitividade? Essa pergunta faz lembrar aquela citada no primeiro parágrafo. 

Os 60 milhões que o Barcelona pretende apresentar no mercado da bola parece insuficiente até para contratar Marquinhos, a primeira escolha do time. As saídas de Marc Batra, Sandro Ramirez e Dani Alves deixaram “apenas” 8 milhões de euros para o clube, que deve enfrentar o mercado mais difícil dos últimos anos. Ou seja, o time terá que ser armado com paciência e voltado para o baixo custo. 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook