Testemunhas de Jeová destroem “templo do diabo” no México


30/06/2016 – 21:00


Vândalos defendem-se dizendo que agiram “em nome de Deus”




Testemunhas de Jeová destroem “templo do diabo” no México
Testemunhas de Jeová destroem “templo do diabo” no México

Membros dos Testemunhas de Jeová reivindicaram um ataque que destruiu a maior parte de um sítio arqueológico sagrado, no centro do México. Para a mídia local, foi um ato de intolerância religiosa.

Após serem presos, os vândalos explicaram às autoridades que destruíram o santuário “seguindo a palavra de Deus”, pois acreditam que o culto ancestral indígena envolve o diabo. Para eles, aqueles eram “ídolos” e sua adoração é proibida nas Escrituras.

O ataque ao santuário de Makonikha, no estado mexicano de Hidalgo, resultou em pelo menos uma dúzia de estruturas de pedras usadas como altares destruídas. Elas foram erguidas cerca de 7 mil anos atrás pelo povo indígena Otomi. A religião deles reverencia a terra, a água e o fogo, entre outras divindades para quem fazem oferendas até hoje em cerimônias dedicadas à “Mãe Terra”.

Segundo explica a antropóloga mexicana Lourdes Báez, Mayonikha para o Otomi é como Meca para os muçulmanos ou Vaticano para os católicos.

Não se sabe como esses Testemunhas de Jeová foram capazes de agir, pois o sítio arqueológico é protegido pelos nativos, que permitem a entrada apenas para os fiéis.

Luiz Peres Lugo, um professor universitário que estuda a cultura pré-colombiana sugeriu que fosse feita uma cerimônia para “se desculpar com os deuses”.

A liderança dos Testemunhas de Jeová no México negou que eles estimulem esse tipo de atitude e que os vândalos presos não possuem registro em nenhum de seus templos. Segundo testemunhas, eles podem ser indígenas da região que se converteram recentemente à “nova fé”. Com informações de RT


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook